Archive for the ‘Circulares à imprensa’ Category

“Auto dos Físicos” volta aos palcos

Sexta-feira, Outubro 19th, 2018

Antecipando um novo período de digressão, A Escola da Noite apresenta no Teatro da Cerca de São Bernardo, em Coimbra, a 24 de Outubro, uma sessão de “Auto dos Físicos”, a divertida farsa escrita por Gil Vicente há quase 500 anos. O espectáculo é uma co-produção com a Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos e oferece uma prazerosa viagem à história da língua portuguesa. Estão igualmente marcadas duas sessões especiais para o público escolar.

autodosfisicos03

Miguel Magalhães e Filipe Eusébio, “Auto dos Físicos” (foto: Pedro Rodrigues)

Um padre “morre” de um amor não correspondido e quatro médicos (os “físicos”) visitam-no à vez, sugerindo estranhos remédios. Brásia Dias, a parente que primeiro o tenta ajudar, um moço transformado em (fraco) alcoviteiro e um padre confessor que compreende “bem demais” o sofrimento do seu colega completam o leque de personagens desta farsa, que termina com uma “ensalada” poética e musical, com referências a outras peças do autor e a elementos do cancioneiro tradicional.
A peça apresenta caricaturas de pessoas concretas – os quatro “físicos” correspondem a pessoas que realmente existiam e que o público facilmente reconhecia – mas é também, como quase toda a obra de Vicente, um retrato da corte, da Igreja e da sociedade portuguesas do século XVI em Portugal.

Uma língua viva
Como sempre faz nas suas incursões vicentinas, A Escola da Noite conjuga uma abordagem cénica contemporânea com o respeito incondicional pelo texto original, sem concessões nem actualizações forçadas. Cabe às restantes linguagens postas em cena (o gesto, o movimento, a cenografia, os figurinos, os adereços, a música) o papel de ajudar a esclarecer os sentidos de algumas palavras que, ao longo dos 500 anos que nos separam de Gil Vicente, foram caindo em desuso. Para os casos mais difíceis, existe um glossário, distribuído gratuitamente aos espectadores, que inclui também, neste caso, algumas notas sobre o contexto histórico em que o texto foi escrito e sobre as pessoas reais que Vicente imortalizou. Esta opção acrescenta um atractivo adicional ao espectáculo: uma prazerosa descoberta ou redescoberta de palavras “estranhas” mas que fazem parte da vida e da riqueza da língua portuguesa.
Com encenação de António Augusto Barros, o espectáculo conta com as interpretações de Filipe Eusébio, Igor Lebreaud, Maria João Robalo, Miguel Magalhães e Sofia Lobo. O cenário recupera um objecto carismático da história da companhia – a caixa desenhada por João Mendes Ribeiro que tem acompanhado boa parte do percurso vicentino d’A Escola da Noite.

Sofia Lobo, Miguel Magalhães e Filipe Eusébio, "Auto dos Físicos" (foto: Pedro Rodrigues)

Sofia Lobo, Miguel Magalhães e Filipe Eusébio, “Auto dos Físicos” (foto: Pedro Rodrigues)

Co-produção com a Ordem dos Médicos
O espectáculo estreou em 2014, em co-produção com a Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, no âmbito das comemorações dos 35 anos do Serviço Nacional de Saúde. Perante o convite que então lhe foi feito, a companhia não quis deixar de se juntar à mobilização em defesa daquela que é um das mais justas e importantes conquistas da democracia portuguesa. “Como a educação e a cultura, a saúde é uma das áreas em que o papel do Estado é essencial para garantir o desenvolvimento de uma sociedade mais humana, solidária e democrática” – escreveu A Escola da Noite na altura. Quatro anos depois, para além de reiterar este princípio, o grupo lembra que a escolha desta peça valoriza simultaneamente a importância intemporal da saúde e dos seus profissionais na vida das pessoas e o papel do humor e da arte na resistência às afrontas e na luta por um mundo melhor.
No âmbito desta co-produção, A Escola da Noite e a Ordem dos Médicos convidam todos os médicos da região a trazer amigos ao Teatro: na compra de um bilhete a preço normal, os médicos voltam a ter direito à oferta de um segundo bilhete para esta sessão no TCSB.

Digressão nacional
Com mais de 60 sessões apresentadas em 14 localidades de Portugal e Espanha e mais de 4 mil espectadores, este “Auto dos Físicos” retoma logo na semana seguinte a sua digressão nacional. Campo Benfeito (Castro Daire, Viseu), a 26 de Outubro (no espaço do Teatro do Montemuro), e Montalegre (no Auditório Municipal, na primeira edição do Festival de Teatro desta localidade), a 4 de Novembro, serão os próximos palcos para as divertidas “consultas” vicentinas.

COIMBRA
Teatro da Cerca de São Bernardo

TEATRO
Auto dos Físicos
de Gil Vicente
A Escola da Noite

texto Gil Vicente encenação António Augusto Barros elenco Filipe Eusébio, Igor Lebreaud, Maria João Robalo, Miguel Magalhães e Sofia Lobo cenografia João Mendes Ribeiro figurinos e adereços Ana Rosa Assunção luz Rui Valente som Zé Diogo vídeo Eduardo Pinto apoio vocal Sofia Portugal cabelos Carlos Gago / Ilídio Design co-produção A Escola da Noite / Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos

24 de Outubro de 2018
Quarta-feira, 21h30
M/12 > 50′
Preços: 6 a 10 €

sessões para escolas (mediante reserva prévia):
23 e 24/10/2018
terça-feira, 15h00; quarta-feira, 11h00
Preço: 3 € / aluno

informações e reservas:
239 718 238 / 966 302 488 / geral@aescoladanoite.pt

Outubro no TCSB: Histórias Perversas, Auto dos Físicos e Sábados para a Infância

Sexta-feira, Outubro 5th, 2018

A despedida de TOMEO Histórias Perversas, uma mini-temporada de “Auto dos Físicos” e o regresso dos Sábados para a Infância marcam a programação de Outubro do Teatro da Cerca de São Bernardo, em Coimbra.
Na sala programada pel’A Escola da Noite há ainda tempo para a exibição do filme “Setembro A Vida Inteira”, com a presença da realizadora e seguido de uma prova de vinhos.

TOMEOHistoriasPerversas_EduardoPinto04

“TOMEO Histórias Perversas” (foto: Eduardo Pinto)

TOMEO E GIL VICENTE
Ao longo do mês de Outubro A Escola da Noite apresenta em Coimbra dois dos seus mais recentes espectáculos. Nas duas primeiras semanas, até dia 14, de quarta a domingo, despede-se da cidade “TOMEO Histórias Perversas”, a criação estreada em Setembro de 2017, assinalando o 25º aniversário da companhia. Pelo surpreendente cenário construído no palco do TCSB passam 26 textos curtos do dramaturgo espanhol Javier Tomeo, seleccionados a partir das obras “Histórias Mínimas”, “Cuentos perversos”, “Inéditos y Reescrituras”, “Los nuevos inquisidores”, “Problemas oculares” e “Bestiário”. Trata-se de uma “literatura livre e audaz”, muitas vezes a raiar o absurdo – plena de humor, ironia e sátira mas também de poesia e humanismo. A perversidade, anunciada pelo próprio autor, e a aparente falta de compaixão com que trata as suas personagens desafiam e espectador a pensar na forma como se vive, como se vive com o outro e como se convive com um mundo que tantas vezes parece ser uma coisa demasiado estranha. O público encontrará nestas histórias (muitos) míopes, pais que vêem gigantes onde filhos vêem moinhos, assassinos que saltam da tela de cinema, crianças que partem a lua em pedaços, esqueletos que falam, capitães que desertam, leões que choram e muitas outras coisas que nem sempre “saem à medida dos nossos desejos”.
Com encenação, dramaturgia e espaço cénico de António Augusto Barros e as interpretações de Igor Lebreaud, Miguel Magalhães e Sofia Lobo, “TOMEO Histórias Perversas” tem música original (interpretada ao vivo) de Jorri, vídeo de Eduardo Pinto, luz de António Rebocho e figurinos e adereços de Ana Rosa Assunção.

A 23 e 24 de Outubro, antecipando um novo período de digressão com este espectáculo, A Escola da Noite volta a apresentar em Coimbra o “Auto dos Físicos”, de Gil Vicente, espectáculo que mantém em reportório há precisamente quatro anos. Estreado em 2014, em co-produção com a Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, no âmbito das comemorações do 35.º aniversário do Serviço Nacional de Saúde, o “Auto dos Físicos” é uma farsa muito divertida, escrita entre 1512 e 1524, provavelmente em altura de Carnaval. Um padre “morre” de um amor não correspondido e quatro médicos (os “físicos”) visitam-no à vez, sugerindo estapafúrdios remédios. Brásia Dias, a parente que primeiro o tenta ajudar, um moço transformado em (fraco) alcoviteiro e um padre confessor que compreende “bem demais” o sofrimento do seu colega completam o leque de personagens da peça, que termina com uma “ensalada” vicentina, com referências e citações de outras peças do autor e a elementos do cancioneiro tradicional.
Também dirigido por António Augusto Barros, o “Auto dos Físicos” é interpretado por Filipe Eusébio, Igor Lebreaud, Maria João Robalo, Miguel Magalhães e Sofia Lobo. As sessões para escolas terão lugar a 23 e 24 de Outubro (terça e quarta-feira, 11h00 e 15h00) e a única sessão para o público em geral está marcada para dia 24, quarta-feira, às 21h30.

SÁBADOS PARA A INFÂNCIA
Nos Sábados para a Infância, cuja programação trimestral foi recentemente anunciada, as propostas de Outubro incluem a oficina “Brincar ao Teatro”, dirigida pela actriz Maria João Robalo (dia 6, para crianças entre os 6 e os 10 anos); a habitual sessão mensal de “Flores de Livro – leitura para a infância”, por Cláudia Sousa (dia 13, para maiores de 2 anos); o regresso do concerto “O Mundo ao Colo”, a criação do Taleguinho com “músicas do mundo” para pais e filhos (dia 20, crianças até aos 5 anos); e ainda o regresso da oficina “Dança para Pais e Filhos”, de Leonor Barata (dia 27, crianças dos 18 meses aos 4 anos).
Os “Sábados para a Infância no TCSB” são um programa desenvolvido pel’A Escola da Noite desde Janeiro de 2015. Desde então, todos os sábados de manhã há propostas artísticas para os mais novos e para as famílias da cidade no TCSB. Propositadamente, as propostas são diversificadas quanto às expressões artísticas e incluem teatro, dança, música, ilustração, pintura, cinema, animação, literatura, entre outras. São igualmente diversificadas quanto aos formatos (espectáculos, oficinas, leitura de contos) e quanto às faixas etárias a que prioritariamente se destinam – dos 4 meses à adolescência, incluindo naturalmente os adultos que acompanham as crianças.
Neste momento já é conhecida a programação até ao final de Dezembro e é já possível (e aconselhável) efectuar reservas, pelos contactos habituais do TCSB: 239 718 238 / 966 302 488 / geral@aescoladanoite.pt.

Setembro a Vida Inteira e oficinas de movimento
Ainda no âmbito da programação de Outubro do TCSB, A Escola da Noite salienta a exibição do filme “Setembro A Vida Inteira”, com a presença da realizadora Ana Sofia Fonseca e seguida de uma prova de vinhos. A projecção está marcada para o dia 17 de Outubro, quarta-feira, pelas 21h00 e ocorre no âmbito do programa “O Mundo do Vinho”, organizado pela produtora Margarida Mendes Silva ao longo do mês, em vários espaços da cidade.
Às terças-feiras, ao final da tarde, prosseguem as oficinas de movimento “Treino físico para as artes cénicas” e “Ni.Butoh”, dirigidas por Matilde Javier Ciria. Abertas ao público em geral, independentemente da experiência dos formandos, estas oficinas pode ser frequentadas em continuidade ou pontualmente, de acordo com as disponibilidades dos interessados. As inscrições podem ser feitas através dos contactos do TCSB.

Teatro da Cerca de São Bernardo
Programação de Outubro de 2018

cartaz TCSB 201810

OFICINA
Treino físico para as artes cénicas
Matilde J. Ciria
11 de Setembro a 11 de Dezembro de 2018
terças-feiras, 18h30 – 20h00
Cena Lusófona > 8,00 €

OFICINA
NI.BUTOH – Ni Teatro Ni Dança
Matilde J. Ciria
11 de Setembro a 11 de Dezembro de 2018
terças-feiras, 20h00 – 22h00
Cena Lusófona > 15,00 €

LEITURA
“Gaia”
dir. Ricardo Cabaça
Clube de Leitura Teatral
2 de Outubro de 2018
Terça-feira, 18h30
60’ > entrada gratuita
co-organização: TAGV / A Escola da Noite

TEATRO
TOMEO Histórias Perversas
de Javier Tomeo
A Escola da Noite
3 a 14 de Outubro de 2018
quarta a sábado, 21h30; domingos, 16h00
M/12 > 1h30 > 6 a 10 €

TEATRO | OFICINA
Brincar ao Teatro (6-10)
Maria João Robalo / A Escola da Noite
6 de Outubro de 2018
Sábado, 11h00
6 aos 10 anos > 90′
Preço: 10 €

LEITURA
Flores de Livro
Cláudia Sousa
13 de Outubro de 2018
Sábado, 11h00
Bar/Livraria do TCSB > M/2 > 50′
Preços: 5 € (adulto+criança); 3 € (individual)

CINEMA
Setembro A Vida Inteira
de Ana Sofia Fonseca
com a presença da realizadora e seguido de uma prova de vinhos
17 de Outubro de 2018
quarta-feira, 21h00
Documentário > Portugal, 2017 > 98’ > M/12 > 3 €
sessão integrada na programação de “O Mundo do Vinho”

MÚSICA
O Mundo ao Colo
Taleguinho
20 de Outubro de 2018
Sábado, 11h00
adultos + bebés e crianças até aos 5 anos > 40′
Preços: 10 € (adulto+criança); 6 € (bilhete individual)

TEATRO
Auto dos Físicos
de Gil Vicente
A Escola da Noite
24 de Outubro de 2018
quarta-feira, 21h30
M/12 > 60′ > 6 a 10 €
sessões para escolas:
23 e 24 de Outubro
terça e quarta-feira, 11h00 e 15h00

DANÇA | OFICINA
Dança para pais e filhos
com Leonor Barata
27 de Outubro de 2018
Sábado, 11h00
adultos + crianças dos 18 meses aos 4 anos > 60′
Preço: 10 € (adulto+criança)

informações e reservas:
239 718 238 / 966 302 488 / geral@aescoladanoite.pt

Histórias Perversas voltam ao TCSB

Quinta-feira, Setembro 13th, 2018

A Escola da Noite repõe em Coimbra, a partir de 20 de Setembro, o espectáculo “TOMEO Histórias Perversas”. Estreada em 2017, a criação com que a companhia assinalou os seus 25 anos registou um grande sucesso e pode agora ser vista ou revista pelo público da cidade, até 14 de Outubro.

TOMEOHistoriasPerversas_EduardoPinto04

Miguel Magalhães e Igor Lebreaud (foto: Eduardo Pinto)

“TOMEO Histórias Perversas” é a 65.ª criação d’A Escola da Noite. Com dramaturgia, encenação e espaço cénico de António Augusto Barros, o espectáculo inclui 26 textos seleccionados a partir das obras “Histórias Mínimas”, “Cuentos perversos”, “Inéditos y Reescrituras”, “Los nuevos inquisidores”, “Problemas oculares” e “Bestiário”.
Definida como uma “literatura livre e audaz”, a escrita de Tomeo – muitas vezes a raiar o absurdo – é plena de humor, ironia e sátira mas também de poesia e humanismo. A perversidade, anunciada pelo próprio, e a aparente falta de compaixão com que trata as suas personagens desafiam-nos a pensar na forma como vivemos, como vivemos com o outro e como convivemos com um mundo que tantas vezes nos parece uma coisa demasiado estranha. A propósito dos “seres incompletos, incapazes de encaixar no mundo” que povoam os textos de Tomeo, escreveu o crítico Daniel Gascón: “Com as suas parábolas sobre o medo irracional, a solidão e a incomunicação, Javier Tomeo faz com que a realidade se torne um pouco mais ameaçadora, mas também muito mais rica e fascinante. É o melhor serviço que um escritor pode prestar aos seus leitores”.

Gigantes, moinhos, assassinos e míopes, num cenário surpreendente e com música ao vivo
Entre os 26 textos escolhidos para o espectáculo, o público encontra (muitos) míopes, pais que vêem gigantes onde filhos vêem moinhos, assassinos que saltam da tela de cinema, crianças que partem a lua em pedaços, esqueletos que falam, capitães que desertam, leões que choram e muitas outras coisas que nem sempre “saem à medida dos nossos desejos”.
A par do trabalho dos três actores da companhia (Igor Lebreaud, Miguel Magalhães e Sofia Lobo desdobram-se em dezenas de personagens), sobressai nesta produção o elaborado e surpreendente dispositivo cénico e a música original e sonoplastia de Jorri, que a interpreta ao vivo. O trabalho de vídeo de Eduardo Pinto, a iluminação de António Rebocho e os figurinos e adereços de Ana Rosa Assunção completam o conjunto de contributos criativos para o espectáculo.
Um ano depois do enorme sucesso alcançado, com sucessivas lotações esgotadas, “TOMEO Histórias Perversas” volta a estar em cena no Teatro da Cerca de São Bernardo entre 20 e 23 de Setembro e de 3 a 14 de Outubro, de quarta a sábado às 21h30 e aos domingos às 16h00. Os preços variam entre os 5 e os 10 Euros e a companhia aconselha vivamente a reserva antecipada de lugares. Devido às características do espaço cénico, e para salvaguardar a boa visibilidade de todos os lugares da bancada, a lotação é mais reduzida do que o habitual.

Sofia Lobo e Igor Lebreaud, "TOMEO Histórias Perversas" (foto: Eduardo Pinto)

Sofia Lobo e Igor Lebreaud, “TOMEO Histórias Perversas” (foto: Eduardo Pinto)

Javier Tomeo e A Escola da Noite
Javier Tomeo (1932-2013) foi um dos autores mais originais e prolíficos da narrativa espanhola contemporânea. As suas obras foram traduzidas em quinze idiomas e várias foram adaptadas ao cinema ou representadas nos principais teatros europeus. A sua produção literária – com destaque para obras como “Amado Monstro” e “O Caçador de Leões” – foi distinguida com vários prémios, entre os quais o “Prémio Aragón a las Letras”, em 1994. Em 2012, toda a sua narrativa breve, incluindo as obras “Historias Mínimas” e “Cuentos Perversos”, foi reunida num só volume, pela editora Páginas de Espuma, sob o título “Cuentos Completos”. Morreu em Barcelona, em 2013, deixando dois livros por publicar: a novela “El hombre bicolor” e o seu último livro de micro-relatos “El fin de los dinosaurios”.
No prólogo de “Cuentos Completos”, Daniel Gascón identifica as oito “regras” que caracterizam a literatura de Tomeo: “aceitar as regras do acaso e do absurdo; a força da sugestão e o fascínio pelo monstruoso; a animalização dos humanos e a humanização dos vegetais e dos animais; o fascínio pelos pormenores do mundo natural e a desconfiança em relação à tecnologia; a fantasia desbocada e a intuição arrepiante; a vivência traumática do amor e do sexo; a violência repentina; a importância do ‘ele’ e esse olhar a que Tomeo gosta de chamar psicopático”. De tão singular, a obra de Tomeo é muitas vezes referida como “inclassificável”. Ainda assim, vários críticos e ensaístas têm encontrado nela influências de Kafka, de Buñuel, do surrealismo, mas também de Charlot, Buster Keaton ou de Ramón Gómez de la Serna.
Em Portugal, estão publicados “Amado Monstro” (Cotovia, 1990) e “Histórias Mínimas” (Livros Horizonte, 1992).
“Amado Monstro”, com encenação e interpretação de António Jorge e José Neves, foi o primeiro espectáculo d’A Escola da Noite, estreado em Coimbra a 19 de Março de 1992, no Teatro Académico de Gil Vicente.

TEATRO
TOMEO Histórias Perversas
A Escola da Noite

textos Javier Tomeo tradução António Augusto Barros, Igor Lebreaud, Miguel Magalhães e Sofia Lobo dramaturgia, encenação e espaço cénico António Augusto Barros figurinos, adereços e imagem gráfica Ana Rosa Assunção música Jorri vídeo Eduardo Pinto iluminação António Rebocho interpretação Igor Lebreaud, Miguel Magalhães e Sofia Lobo voz-off Ana Gonçalves, Igor Lebreaud, Maria João Robalo figuração e maquinaria de cena Cláudia Morais e Sofia Coelho cabelos Carlos Gago | Ilídio Design consultadoria de cenografia João Mendes Ribeiro e Luísa Bebiano montagem e operação técnica Rui Valente e Zé Diogo

TEMPORADA EM COIMBRA
Teatro da Cerca de São Bernardo
20 a 23 de Setembro de 2018
3 a 14 de Outubro de 2018
quarta a sábado, 21h30; domingos, 16h00
M/12 > 1h30
Preços: Normal, 10 €; Estudante, jovem, M/65, profissionais e amadores/as de teatro: 6 €; Entidades protocoladas TCSB: 5 €; Assinaturas TCSB: 50 € (10+1 entradas) ou 30 € (5 entradas)

informações e reservas:
239 718 238 / 966 302 488 / geral@aescoladanoite.pt

Setembro no TCSB: Histórias Perversas, António Nóbrega e oficinas de movimento

Segunda-feira, Agosto 20th, 2018

A reposição de TOMEO Histórias Perversas e a “Ocupação Brincante”, com o regresso a Coimbra do músico e bailarino brasileiro António Nóbrega, são os destaques da programação de Setembro do Teatro da Cerca de São Bernardo, em Coimbra. Entre as novidades estão também duas oficinas de movimento, dirigidas por Matilde Javier Ciria, que decorrerão ao longo do ano.

site 210809

HISTÓRIAS PERVERSAS
Um ano depois do grande sucesso alcançado com este espectáculo, que registou sucessivas lotações esgotadas, A Escola da Noite volta a apresentar em Coimbra “TOMEO Histórias Perversas”, criação que assinalou o 25.º aniversário da companhia.
Pelo transformado palco do TCSB voltarão a passar, a partir de 20 de Setembro, os 26 textos curtos escritos pelo dramaturgo espanhol Javier Tomeo, seleccionados a partir das obras “Histórias Mínimas”, “Cuentos perversos”, “Inéditos y Reescrituras”, “Los nuevos inquisidores”, “Problemas oculares” e “Bestiário”.

TOMEOHistoriasPerversas_EduardoPinto04

“TOMEO Histórias Perversas” (foto: Eduardo Pinto)

Muitas vezes a raiar o absurdo e definida como uma “literatura livre e audaz”, a obra de Tomeo é plena de humor, ironia e sátira mas também de poesia e humanismo. A perversidade, anunciada pelo próprio, e a aparente falta de compaixão com que trata as suas personagens desafiam-nos a pensar na forma como vivemos, como vivemos com o outro e como convivemos com um mundo que tantas vezes nos parece uma coisa demasiado estranha. A propósito dos “seres incompletos, incapazes de encaixar no mundo” que povoam os textos de Tomeo, escreve Daniel Gascón no prólogo de “Cuentos Completos”: “Com as suas parábolas sobre o medo irracional, a solidão e a incomunicação, Javier Tomeo faz com que a realidade se torne um pouco mais ameaçadora, mas também muito mais rica e fascinante. É o melhor serviço que um escritor pode prestar aos seus leitores”.
De volta ao contacto com o público da cidade estão as intrigantes e desafiadoras personagens que nos conduzem pelo universo de Tomeo: (muitos) míopes, pais que vêem gigantes onde filhos vêem moinhos, assassinos que saltam da tela de cinema, crianças que partem a lua em pedaços, esqueletos que falam, capitães que desertam, leões que choram e muitas outras coisas que nem sempre “saem à medida dos nossos desejos”.
A par do trabalho dos três actores da companhia (Igor Lebreaud, Miguel Magalhães e Sofia Lobo), que se desdobram em dezenas de personagens, sobressai neste espectáculo o artesanal e sofisticado dispositivo cénico, (possível apenas numa sala com as características do TCSB), construído para realçar os efeitos de surpresa, mistério e inquietação que os textos transmitem. A música – original e interpretada ao vivo – de Jorri (a Jigsaw), o vídeo de Eduardo Pinto, a iluminação de António Rebocho e os figurinos e adereços de Ana Rosa Assunção, com a direcção (dramaturgia, encenação e espaço cénico) de António Augusto Barros, completam o leque de criações que fazem deste espectáculo uma proposta a que é impossível ficar indiferente.

“OCUPAÇÃO BRINCANTE”, COM ANTÓNIO NÓBREGA: OFICINAS E AULAS-ESPECTÁCULO
Na última semana do mês, interrompendo temporariamente (e por uma muito boa causa) a nova temporada de “TOMEO Histórias Perversas”, A Escola da Noite e a Cena Lusófona acolhem em Coimbra a “Ocupação Brincante” com António Nóbrega. O programa desenhado com o músico e bailarino brasileiro (que em 2003 passou pela Oficina Municipal do Teatro e pelo TAGV) inclui duas oficinas de quatro dias e duas aulas-espectáculo, oportunidades únicas para conhecer o notável trabalho de pesquisa e formação desenvolvido por aquele que é um dos mais singulares músicos, bailarinos e coreógrafos contemporâneos do Brasil e do espaço lusófono.
Entre 25 e 28 de Setembro (terça a sexta-feira), terão lugar duas oficinas, com a duração de 4 dias – uma de dança, diriga por Rosane Almeida, e outra de música e poesia, dirigida pelo próprio Nóbrega. “Uma linguagem brasileira da dança” e “Tirando versos na rima” são particularmente apelativas para intérpretes de artes cénicas, alunos/as e professores/as do ensino artístico e educadores/as mas destinam-se ao público em geral e podem ser usufruídas por qualquer pessoa, independentemente da experiência artística que tenha. As inscrições, já abertas, custam 50 Euros por oficina (30 Euros, no caso de estudantes).

António Nóbrega (foto: Silvia Machado)

António Nóbrega (foto: Silvia Machado)

“Com Passo Sincopado” e “Mátria” são os títulos das duas aulas-espectáculo que António Nóbrega apresentará no palco do TCSB nos dias 29 e 30 de Setembro (sábado às 22h00 e domingo às 16h00). Na primeira, o artista apresenta a sua visão de uma dança brasileira contemporânea, sistematizada a partir do encontro de matrizes corporais índio-africano-iberopopulares (passos, giros, meneios, molejos, gingados, etc.) com princípios técnicos, práticas e procedimentos formais provenientes de linguagens de dança do Ocidente e Oriente. Em “Mátria”, que define como “ uma viagem lírica e brincalhona e ao mesmo tempo repleta de significados”, Nóbrega aprofunda, através da música cantada e instrumental, da dança e da atuação teatral, uma síntese da fricção cultural que identifica no Brasil contemporâneo, entre o rico imaginário cultural popular brasileiro (a “Mátria”) e “o universo cultural Pátria – o da técnica e sistematização desenvolvidos pela tradição ocidental de cultura, de ascendência greco-latina-judaico-bárbaro-cristã”.
Os bilhetes para as aulas-espectáculo custam entre 6 e 10 Euros e já podem ser reservados pelos contactos habituais do TCSB.

NI.BUTOH E TREINO FÍSICO PARA AS ARTES CÉNICAS: AULAS REGULARES COM MATILDE JAVIER CIRIA
Recém-radicado em Coimbra, o bailarino e coreógrafo espanhol Matilde Javier Ciria é o novo artista da cidade a quem A Escola da Noite se orgulha de abrir as portas do Teatro da Cerca de São Bernardo.
A partir de 11 de Setembro, e ao longo de toda o ano, as terças-feiras no Teatro oferecem duas oficinas regulares de movimento, que podem ser frequentadas individualmente ou de forma complementar, conforme a disponibilidade e a vontade dos/as formandos/as.
Entre as 18h30 e as 20h00, decorre semanalmente a oficina “Treino físico para as artes cénicas”, destinada a “melhorar as capacidades psicofísicas dos participantes”. Com exercícios baseados em técnicas de Noguchi Taiso, Body Weather, Yoga e Teatro, serão trabalhadas aptidões como flexibilidade, resistência, relaxamento, reacção, escuta interna, escuta espacial, coordenação e ritmo, entre outras. Particularmente pensada para intérpretes e alunos de artes cénicas, a formação “dirige-se a todos os corpos, independentemente da sua experiência”.
Logo de seguida, entre as 20h00 e as 22h00 de todas as terças-feiras, Matilde Ciria dirige a oficina Ni.Butoh – “Ni teatro ni dança”. Originária do Japão (criada nos anos 50 do século XX por Tatsumi Hijikata e Kazuo Ohno), a dança Butoh é definida como “uma dança da vida, da liberdade”. “Através do confronto da alma com o corpo humano, procura integrar a dualidade da existência (vida/morte, masculino/feminino, consciente/inconsciente, futuro/passado…) e encontrar uma forma de expressão única de cada ser e ao mesmo tempo comum a todos, uma verdade da alma através do corpo, que permita a sabedoria inconsciente manifestar-se através do movimento consciente” – adianta Matilde Ciria. Útil para quem utiliza o corpo como ferramenta de trabalho nas artes cénicas, a oficina de Butoh pode no entanto ser frequentada por todos/as quantos/as querem conhecer melhor o seu corpo e as suas possibilidades: “Mediante o desafio dos nossos limites físicos, emocionais e psicológicos, poderemos entrar num espaço de vazio mental – desde aí poderemos escutar o mistério, bater à porta atrás da qual se encontram as memórias ocultas do nosso corpo e deixar que o movimento surja de outro lugar, mais profundo. A chave será a nossa sensibilidade”.
As inscrições para as oficinas podem ser feitas por aula, por mês ou por trimestre, havendo condições especiais para as pessoas que frequentem as duas.

 

Coimbra, Teatro da Cerca de São Bernardo
Programação de Setembro de 2018

OFICINA
Treino físico para as artes cénicas
Matilde J. Ciria
11 de Setembro a 11 de Dezembro de 2018
terças-feiras, 18h30 – 20h00
Cena Lusófona > 8,00 €

OFICINA
NI.BUTOH – Ni Teatro Ni Dança
Matilde J. Ciria
11 de Setembro a 11 de Dezembro de 2018
terças-feiras, 20h00 – 22h00
Cena Lusófona > 15,00 €

TEATRO
TOMEO Histórias Perversas
de Javier Tomeo
A Escola da Noite
20 a 23 de Setembro e 3 a 14 de Outubro de 2018
quarta a sábado, 21h30; domingos, 16h00
M/12 > 1h30 > 6 a 10 €

DANÇA | OFICINA
Uma Linguagem Brasileira de Dança
Rosane Almeida
25 a 28 de Setembro de 2018
terça a sexta-feira, 14h00-16h30
duração total: 10 horas
Cena Lusófona > preços: 50 Euros; estudantes: 30 Euros
org. A Escola da Noite / Cena Lusófona

POESIA | OFICINA
Tirando Versos na Rima
António Nóbrega
25 a 28 de Setembro de 2018
terça a sexta-feira, 17h00-19h30
duração total: 10 horas
Cena Lusófona > preços: 50 Euros; estudantes: 30 Euros
org. A Escola da Noite / Cena Lusófona

DANÇA | AULA-ESPECTÁCULO
Com Passo Sincopado
António Nóbrega
29 de Setembro de 2018
Sábado, 22h00
M/6 > 60′ > 6 a 10 Euros

DANÇA/MÚSICA | AULA-ESPECTÁCULO
Mátria
António Nóbrega
30 de Setembro de 2018
Domingo, 16h00
M6 > 60′ > 6 a 10 Euros

informações e reservas:
239 718 238 / 966 302 488 / geral@aescoladanoite.pt

Teatro ao ar livre no Pátio da Inquisição, com o Teatro das Beiras

Segunda-feira, Julho 16th, 2018

A Escola da Noite traz a Coimbra, na próxima quinta-feira, a mais recente criação do Teatro das Beiras. “Do Princípio ao Fim” junta três peças do italiano Eduardo de Filippo e promete uma noite de grande animação, ao ar livre e com entrada gratuita, no Pátio da Inquisição.

cartaz teatro das beiras_Fotor

Mantendo a tradição de organizar espectáculos ao ar livre no Pátio da Inquisição no período de Verão, A Escola da Noite acolhe no dia 19 de Julho, quinta-feira, às 22h00, a apresentação do espectáculo “Do Princípio ao Fim”, de Eduardo de Filippo. Com encenação de Gil Salgueiro Nave, esta é 100.ª produção da companhia Teatro das Beiras, sediada na Covilhã e parceira do grupo de Coimbra em vários projectos de intercâmbio. Como é habitual neste tipo de iniciativas, a entrada é livre.
A primeira das três divertidas peças curtas seleccionadas para este espectáculo mostra-nos uma desafortunada companhia de teatro que vem solicitar o apoio das autoridades locais para impedir o trágico fim que se anuncia. Utilizando o melhor que pode as suas multidisciplinares capacidades artísticas, o grupo organiza uma récita onde se sucedem números musicais, folhetins radiofónicos e o cinematógrafo. Em “Perigosamente”, construída ao estilo do popular teatro de bonecos, o habitual bastão com que se castigam as impertinências domésticas é substituído por um revólver que sistematicamente falha o alvo, por milagre ou por manifesta falta de pontaria. Em “Amizade”, um homem em delírio e à beira da morte confessa a um amigo de longa data as infidelidades cometidas ao longo da sua extravagante relação. Como traços comuns aos três textos (tal como em boa parte da obra de De Filippo), a farsa, a comédia trágica e as narrativas próximas do surrealismo garantem cerca de uma hora repleta de boa disposição.

Eduardo De Filippo
O italiano Eduardo De Filippo (1900-1984) foi actor, dramaturgo e encenador das suas próprias obras. Testemunhou todas as contradições sociais e artísticas do seu tempo e acompanhou o advento da massificação dos meios de comunicação – a rádio, o cinematógrafo e a televisão – escrevendo textos e guiões para todos eles. “Do princípio ao fim” propõe – adianta o Teatro das Beiras – “uma leitura contemporânea e actualizada da obra de De Filippo: um teatro eminentemente social, de humor desconcertante, às vezes trágico e grotesco, que insinua uma mistura de desencanto e simultaneamente de esperança e expectativa na humanidade, capaz de impulsionar o homem a resistir às adversidades e a continuar lutando pelos valores de dignidade que lhe são devidos”.

A apresentação deste espectáculo em Coimbra é a última iniciativa da temporada 2017/2018 do Teatro da Cerca de São Bernardo, cuja reabertura acontecerá em Setembro, com um programa que anunciaremos em breve.

Coimbra, Teatro da Cerca de São Bernardo
Programação de 16 a 22 de Julho de 2018

TEATRO AO AR LIVRE
Do Princípio ao Fim
de Eduardo De Filippo
pelo Teatro das Beiras

textos Eduardo De Filippo tradução Luís Nogueira e Gil Salgueiro Nave encenação Gil Salgueiro Nave cenário e figurinos Luís Mouro desenho de luzes Fernando Sena direcção musical Tiago Moreira interpretação Nuno Geraldo, Roberto Jácome, Sílvia Morais, Tiago Moreira voz-off Fernando Landeira

19 de Julho de 2018
Quinta-feira, 22h00
Pátio da Inquisição
M/6 > 70’ > Entrada livre

informações:
239 718 238 / 966 302 488 / geral@aescoladanoite.pt