Archive for the ‘Circulares à imprensa’ Category

Setembro no TCSB: Histórias Perversas, António Nóbrega e oficinas de movimento

Segunda-feira, Agosto 20th, 2018

A reposição de TOMEO Histórias Perversas e a “Ocupação Brincante”, com o regresso a Coimbra do músico e bailarino brasileiro António Nóbrega, são os destaques da programação de Setembro do Teatro da Cerca de São Bernardo, em Coimbra. Entre as novidades estão também duas oficinas de movimento, dirigidas por Matilde Javier Ciria, que decorrerão ao longo do ano.

site 210809

HISTÓRIAS PERVERSAS
Um ano depois do grande sucesso alcançado com este espectáculo, que registou sucessivas lotações esgotadas, A Escola da Noite volta a apresentar em Coimbra “TOMEO Histórias Perversas”, criação que assinalou o 25.º aniversário da companhia.
Pelo transformado palco do TCSB voltarão a passar, a partir de 20 de Setembro, os 26 textos curtos escritos pelo dramaturgo espanhol Javier Tomeo, seleccionados a partir das obras “Histórias Mínimas”, “Cuentos perversos”, “Inéditos y Reescrituras”, “Los nuevos inquisidores”, “Problemas oculares” e “Bestiário”.

TOMEOHistoriasPerversas_EduardoPinto04

“TOMEO Histórias Perversas” (foto: Eduardo Pinto)

Muitas vezes a raiar o absurdo e definida como uma “literatura livre e audaz”, a obra de Tomeo é plena de humor, ironia e sátira mas também de poesia e humanismo. A perversidade, anunciada pelo próprio, e a aparente falta de compaixão com que trata as suas personagens desafiam-nos a pensar na forma como vivemos, como vivemos com o outro e como convivemos com um mundo que tantas vezes nos parece uma coisa demasiado estranha. A propósito dos “seres incompletos, incapazes de encaixar no mundo” que povoam os textos de Tomeo, escreve Daniel Gascón no prólogo de “Cuentos Completos”: “Com as suas parábolas sobre o medo irracional, a solidão e a incomunicação, Javier Tomeo faz com que a realidade se torne um pouco mais ameaçadora, mas também muito mais rica e fascinante. É o melhor serviço que um escritor pode prestar aos seus leitores”.
De volta ao contacto com o público da cidade estão as intrigantes e desafiadoras personagens que nos conduzem pelo universo de Tomeo: (muitos) míopes, pais que vêem gigantes onde filhos vêem moinhos, assassinos que saltam da tela de cinema, crianças que partem a lua em pedaços, esqueletos que falam, capitães que desertam, leões que choram e muitas outras coisas que nem sempre “saem à medida dos nossos desejos”.
A par do trabalho dos três actores da companhia (Igor Lebreaud, Miguel Magalhães e Sofia Lobo), que se desdobram em dezenas de personagens, sobressai neste espectáculo o artesanal e sofisticado dispositivo cénico, (possível apenas numa sala com as características do TCSB), construído para realçar os efeitos de surpresa, mistério e inquietação que os textos transmitem. A música – original e interpretada ao vivo – de Jorri (a Jigsaw), o vídeo de Eduardo Pinto, a iluminação de António Rebocho e os figurinos e adereços de Ana Rosa Assunção, com a direcção (dramaturgia, encenação e espaço cénico) de António Augusto Barros, completam o leque de criações que fazem deste espectáculo uma proposta a que é impossível ficar indiferente.

“OCUPAÇÃO BRINCANTE”, COM ANTÓNIO NÓBREGA: OFICINAS E AULAS-ESPECTÁCULO
Na última semana do mês, interrompendo temporariamente (e por uma muito boa causa) a nova temporada de “TOMEO Histórias Perversas”, A Escola da Noite e a Cena Lusófona acolhem em Coimbra a “Ocupação Brincante” com António Nóbrega. O programa desenhado com o músico e bailarino brasileiro (que em 2003 passou pela Oficina Municipal do Teatro e pelo TAGV) inclui duas oficinas de quatro dias e duas aulas-espectáculo, oportunidades únicas para conhecer o notável trabalho de pesquisa e formação desenvolvido por aquele que é um dos mais singulares músicos, bailarinos e coreógrafos contemporâneos do Brasil e do espaço lusófono.
Entre 25 e 28 de Setembro (terça a sexta-feira), terão lugar duas oficinas, com a duração de 4 dias – uma de dança, diriga por Rosane Almeida, e outra de música e poesia, dirigida pelo próprio Nóbrega. “Uma linguagem brasileira da dança” e “Tirando versos na rima” são particularmente apelativas para intérpretes de artes cénicas, alunos/as e professores/as do ensino artístico e educadores/as mas destinam-se ao público em geral e podem ser usufruídas por qualquer pessoa, independentemente da experiência artística que tenha. As inscrições, já abertas, custam 50 Euros por oficina (30 Euros, no caso de estudantes).

António Nóbrega (foto: Silvia Machado)

António Nóbrega (foto: Silvia Machado)

“Com Passo Sincopado” e “Mátria” são os títulos das duas aulas-espectáculo que António Nóbrega apresentará no palco do TCSB nos dias 29 e 30 de Setembro (sábado às 22h00 e domingo às 16h00). Na primeira, o artista apresenta a sua visão de uma dança brasileira contemporânea, sistematizada a partir do encontro de matrizes corporais índio-africano-iberopopulares (passos, giros, meneios, molejos, gingados, etc.) com princípios técnicos, práticas e procedimentos formais provenientes de linguagens de dança do Ocidente e Oriente. Em “Mátria”, que define como “ uma viagem lírica e brincalhona e ao mesmo tempo repleta de significados”, Nóbrega aprofunda, através da música cantada e instrumental, da dança e da atuação teatral, uma síntese da fricção cultural que identifica no Brasil contemporâneo, entre o rico imaginário cultural popular brasileiro (a “Mátria”) e “o universo cultural Pátria – o da técnica e sistematização desenvolvidos pela tradição ocidental de cultura, de ascendência greco-latina-judaico-bárbaro-cristã”.
Os bilhetes para as aulas-espectáculo custam entre 6 e 10 Euros e já podem ser reservados pelos contactos habituais do TCSB.

NI.BUTOH E TREINO FÍSICO PARA AS ARTES CÉNICAS: AULAS REGULARES COM MATILDE JAVIER CIRIA
Recém-radicado em Coimbra, o bailarino e coreógrafo espanhol Matilde Javier Ciria é o novo artista da cidade a quem A Escola da Noite se orgulha de abrir as portas do Teatro da Cerca de São Bernardo.
A partir de 11 de Setembro, e ao longo de toda o ano, as terças-feiras no Teatro oferecem duas oficinas regulares de movimento, que podem ser frequentadas individualmente ou de forma complementar, conforme a disponibilidade e a vontade dos/as formandos/as.
Entre as 18h30 e as 20h00, decorre semanalmente a oficina “Treino físico para as artes cénicas”, destinada a “melhorar as capacidades psicofísicas dos participantes”. Com exercícios baseados em técnicas de Noguchi Taiso, Body Weather, Yoga e Teatro, serão trabalhadas aptidões como flexibilidade, resistência, relaxamento, reacção, escuta interna, escuta espacial, coordenação e ritmo, entre outras. Particularmente pensada para intérpretes e alunos de artes cénicas, a formação “dirige-se a todos os corpos, independentemente da sua experiência”.
Logo de seguida, entre as 20h00 e as 22h00 de todas as terças-feiras, Matilde Ciria dirige a oficina Ni.Butoh – “Ni teatro ni dança”. Originária do Japão (criada nos anos 50 do século XX por Tatsumi Hijikata e Kazuo Ohno), a dança Butoh é definida como “uma dança da vida, da liberdade”. “Através do confronto da alma com o corpo humano, procura integrar a dualidade da existência (vida/morte, masculino/feminino, consciente/inconsciente, futuro/passado…) e encontrar uma forma de expressão única de cada ser e ao mesmo tempo comum a todos, uma verdade da alma através do corpo, que permita a sabedoria inconsciente manifestar-se através do movimento consciente” – adianta Matilde Ciria. Útil para quem utiliza o corpo como ferramenta de trabalho nas artes cénicas, a oficina de Butoh pode no entanto ser frequentada por todos/as quantos/as querem conhecer melhor o seu corpo e as suas possibilidades: “Mediante o desafio dos nossos limites físicos, emocionais e psicológicos, poderemos entrar num espaço de vazio mental – desde aí poderemos escutar o mistério, bater à porta atrás da qual se encontram as memórias ocultas do nosso corpo e deixar que o movimento surja de outro lugar, mais profundo. A chave será a nossa sensibilidade”.
As inscrições para as oficinas podem ser feitas por aula, por mês ou por trimestre, havendo condições especiais para as pessoas que frequentem as duas.

 

Coimbra, Teatro da Cerca de São Bernardo
Programação de Setembro de 2018

OFICINA
Treino físico para as artes cénicas
Matilde J. Ciria
11 de Setembro a 11 de Dezembro de 2018
terças-feiras, 18h30 – 20h00
Cena Lusófona > 8,00 €

OFICINA
NI.BUTOH – Ni Teatro Ni Dança
Matilde J. Ciria
11 de Setembro a 11 de Dezembro de 2018
terças-feiras, 20h00 – 22h00
Cena Lusófona > 15,00 €

TEATRO
TOMEO Histórias Perversas
de Javier Tomeo
A Escola da Noite
20 a 23 de Setembro e 3 a 14 de Outubro de 2018
quarta a sábado, 21h30; domingos, 16h00
M/12 > 1h30 > 6 a 10 €

DANÇA | OFICINA
Uma Linguagem Brasileira de Dança
Rosane Almeida
25 a 28 de Setembro de 2018
terça a sexta-feira, 14h00-16h30
duração total: 10 horas
Cena Lusófona > preços: 50 Euros; estudantes: 30 Euros
org. A Escola da Noite / Cena Lusófona

POESIA | OFICINA
Tirando Versos na Rima
António Nóbrega
25 a 28 de Setembro de 2018
terça a sexta-feira, 17h00-19h30
duração total: 10 horas
Cena Lusófona > preços: 50 Euros; estudantes: 30 Euros
org. A Escola da Noite / Cena Lusófona

DANÇA | AULA-ESPECTÁCULO
Com Passo Sincopado
António Nóbrega
29 de Setembro de 2018
Sábado, 22h00
M/6 > 60′ > 6 a 10 Euros

DANÇA/MÚSICA | AULA-ESPECTÁCULO
Mátria
António Nóbrega
30 de Setembro de 2018
Domingo, 16h00
M6 > 60′ > 6 a 10 Euros

informações e reservas:
239 718 238 / 966 302 488 / geral@aescoladanoite.pt

Teatro ao ar livre no Pátio da Inquisição, com o Teatro das Beiras

Segunda-feira, Julho 16th, 2018

A Escola da Noite traz a Coimbra, na próxima quinta-feira, a mais recente criação do Teatro das Beiras. “Do Princípio ao Fim” junta três peças do italiano Eduardo de Filippo e promete uma noite de grande animação, ao ar livre e com entrada gratuita, no Pátio da Inquisição.

cartaz teatro das beiras_Fotor

Mantendo a tradição de organizar espectáculos ao ar livre no Pátio da Inquisição no período de Verão, A Escola da Noite acolhe no dia 19 de Julho, quinta-feira, às 22h00, a apresentação do espectáculo “Do Princípio ao Fim”, de Eduardo de Filippo. Com encenação de Gil Salgueiro Nave, esta é 100.ª produção da companhia Teatro das Beiras, sediada na Covilhã e parceira do grupo de Coimbra em vários projectos de intercâmbio. Como é habitual neste tipo de iniciativas, a entrada é livre.
A primeira das três divertidas peças curtas seleccionadas para este espectáculo mostra-nos uma desafortunada companhia de teatro que vem solicitar o apoio das autoridades locais para impedir o trágico fim que se anuncia. Utilizando o melhor que pode as suas multidisciplinares capacidades artísticas, o grupo organiza uma récita onde se sucedem números musicais, folhetins radiofónicos e o cinematógrafo. Em “Perigosamente”, construída ao estilo do popular teatro de bonecos, o habitual bastão com que se castigam as impertinências domésticas é substituído por um revólver que sistematicamente falha o alvo, por milagre ou por manifesta falta de pontaria. Em “Amizade”, um homem em delírio e à beira da morte confessa a um amigo de longa data as infidelidades cometidas ao longo da sua extravagante relação. Como traços comuns aos três textos (tal como em boa parte da obra de De Filippo), a farsa, a comédia trágica e as narrativas próximas do surrealismo garantem cerca de uma hora repleta de boa disposição.

Eduardo De Filippo
O italiano Eduardo De Filippo (1900-1984) foi actor, dramaturgo e encenador das suas próprias obras. Testemunhou todas as contradições sociais e artísticas do seu tempo e acompanhou o advento da massificação dos meios de comunicação – a rádio, o cinematógrafo e a televisão – escrevendo textos e guiões para todos eles. “Do princípio ao fim” propõe – adianta o Teatro das Beiras – “uma leitura contemporânea e actualizada da obra de De Filippo: um teatro eminentemente social, de humor desconcertante, às vezes trágico e grotesco, que insinua uma mistura de desencanto e simultaneamente de esperança e expectativa na humanidade, capaz de impulsionar o homem a resistir às adversidades e a continuar lutando pelos valores de dignidade que lhe são devidos”.

A apresentação deste espectáculo em Coimbra é a última iniciativa da temporada 2017/2018 do Teatro da Cerca de São Bernardo, cuja reabertura acontecerá em Setembro, com um programa que anunciaremos em breve.

Coimbra, Teatro da Cerca de São Bernardo
Programação de 16 a 22 de Julho de 2018

TEATRO AO AR LIVRE
Do Princípio ao Fim
de Eduardo De Filippo
pelo Teatro das Beiras

textos Eduardo De Filippo tradução Luís Nogueira e Gil Salgueiro Nave encenação Gil Salgueiro Nave cenário e figurinos Luís Mouro desenho de luzes Fernando Sena direcção musical Tiago Moreira interpretação Nuno Geraldo, Roberto Jácome, Sílvia Morais, Tiago Moreira voz-off Fernando Landeira

19 de Julho de 2018
Quinta-feira, 22h00
Pátio da Inquisição
M/6 > 70’ > Entrada livre

informações:
239 718 238 / 966 302 488 / geral@aescoladanoite.pt

Julho no Pátio da Inquisição: Clube de Leitura e Teatro ao ar livre

Segunda-feira, Julho 2nd, 2018

Com o edifício fechado para obras de conservação, a programação de Julho do Teatro da Cerca de São Bernardo, em Coimbra, acontece “fora de portas”: o Clube de Leitura Teatral visita as novas instalações da Cena Lusófona e o Teatro das Beiras anima o Pátio da Inquisição, com diversão garantida.

cartaz TCSB 201807

JORGE PALINHOS NO CLUBE DE LEITURA
Na última sessão da temporada do Clube de Leitura Teatral e ainda no âmbito do ciclo dedicado à dramaturgia portuguesa contemporânea, A Escola da Noite e o TAGV convidam o escritor Jorge Palinhos, que escolheu as peças “Tebas de Mil Portas” e “O caminho das Pedras”.
A apresentação da leitura terá lugar na sala polivalente da Cena Lusófona, no Pátio da Inquisição, no dia 3 de Julho (terça-feira), às 18h30, com entrada gratuita.
Jorge Palinhos tem escrito e trabalhado em teatro desde 2003, tendo várias das suas peças sido apresentadas e premiadas nacional e internacionalmente. Foi co-fundador da companhia Terra na Boca, onde coordenou os projetos Ar das Palavras e Teatro Imediato. É editor da revista Drama, colaborador da Revista Nua e membro da comissão científica da revista Persona. Tem também colaborado com as publicações Sinais de Cena, Bang, P3, Grande Porto e Porto24. É ainda autor de guiões de curtas-metragens e de contos publicados em revistas e antologias. Entre as suas peças publicadas contam-se Auto da Razão, Lunário (Poema Polifónico), Parking, Cassandra e D’Abalada. Uma antologia de peças suas será publicada em breve pela Imprensa da Universidade de Coimbra.
Actualmente é membro da direcção da Plateia e está a desenvolver uma tese sobre dramaturgia contemporânea com bolsa da FCT.

TEATRO DAS BEIRAS NO PÁTIO DA INQUISIÇÃO
Dando continuidade ao que já se tornou uma tradição, A Escola da Noite volta a organizar um espectáculo ao ar livre no Pátio da Inquisição. Desta vez, é o Teatro das Beiras, da Covilhã, que traz a Coimbra a sua mais recente e divertida criação: “Do princípio ao fim”, com textos de Eduardo De Filippo e encenação de Gil Salgueiro Nave.
Uma companhia de actores caídos em desgraça espera ansiosamente “uma ajudazinha” das autoridades locais para impedir o trágico fim que se anuncia. Fazendo jus às suas multidisciplinares capacidades artísticas, o grupo organiza uma récita onde se sucedem números musicais, folhetins radiofónicos, cinematógrafo e, claro, o drama, a farsa e a comédia trágica de um quotidiano vivido nos limites do surreal. Na farsa “Perigosamente”, bem ao estilo do popular teatro de bonecos, o habitual bastão com que se castigam as impertinências domésticas é substituído por um revólver que sistematicamente falha o alvo, por milagre ou por manifesta falta de pontaria. Em “Amizade”, um homem em delírio e à beira da morte confessa a um amigo de longa data as infidelidades cometidas ao longo da sua extravagante relação.
O italiano Eduardo De Filippo (1900-1984) foi actor, dramaturgo e encenador das suas próprias obras. Testemunhou todas as contradições sociais e artísticas do seu tempo e acompanhou o advento da massificação dos meios de comunicação – a rádio, o cinematógrafo e a televisão – escrevendo textos e guiões para todos eles.
O Teatro das Beiras adianta que “Do princípio ao fim” propõe “uma leitura contemporânea e actualizada da obra de De Filippo – um teatro eminentemente social, de humor desconcertante, às vezes trágico e grotesco, que insinua uma mistura de desencanto e simultaneamente de esperança e expectativa na humanidade, capaz de impulsionar o homem a resistir às adversidades e a continuar lutando pelos valores de dignidade que lhe são devidos”.
Com entrada livre e pensado para maiores de 6 anos, o espectáculo no Pátio da Inquisição está marcado para 19 de Julho, quinta-feira, às 22h00.

Coimbra, Teatro da Cerca de São Bernardo
Programação de Julho de 2018

LEITURA
“Tebas de Mil Portas” + “O caminho das Pedras”
dir. Jorge Palinhos
Clube de Leitura Teatral
3 de Julho de 2018
Terça-feira, 18h30
60′ > entrada gratuita
co-organização: TAGV / A Escola da Noite
apoio: Cena Lusófona

TEATRO AO AR LIVRE
Do Princípio ao Fim
de Eduardo De Filippo
pelo Teatro das Beiras
19 de Julho de 2018
Quinta-feira, 22h00
Pátio da Inquisição
M/6 > 70′ > Entrada livre

informações:
239 718 238 / 966 302 488 / geral@aescoladanoite.pt

“Cinzas…”, de Harold Pinter, Clube de Leitura e Flores de Livro no TCSB

Segunda-feira, Maio 14th, 2018

A estreia do novo espectáculo d’A Escola da Noite – “Cinzas…”, de Harold Pinter –, o Clube de Leitura Teatral com Miguel Castro Caldas e as “Flores de Livro” nos Sábados para a Infância marcam a semana do Teatro da Cerca de São Bernardo, em Coimbra.

Ricardo Kalash, Miguel Magalhães e Igor Lebreaud, "Cinzas..." (foto de ensaio: Pedro Rodrigues)

Ricardo Kalash, Miguel Magalhães e Igor Lebreaud, “Cinzas…” (foto de ensaio: Pedro Rodrigues)

CINZAS…, de Harold Pinter
Estreia a 17 de Maio, quinta-feira, o novo espectáculo d’A Escola da Noite, com encenação de Rogério de Carvalho. “Cinzas…” reúne quatro peças do dramaturgo inglês Harold Pinter (1930-2008), escritas em momentos distintos da carreira do escritor: “A Black and White” (1959), “Língua da Montanha” (1988), “A Nova Ordem Mundial” (1991) e “Cinza às Cinzas” (1996). Em todas elas encontramos personagens confrontadas com diferentes formas de opressão e violência – refinada ou brutal; íntima, social ou de Estado; física ou psicológica. Sem referências explícitas a tempos e lugares e assentes nos notáveis diálogos que marcam a obra de Pinter, os quatro textos seleccionados visitam cenários de pobreza, de tortura, de humilhações, de desamparo dos mais fracos perante várias formas de agressão com as quais todas as sociedades convivem. Duas idosas que se abrigam da cidade grande na leitaria onde diariamente comem a sua sopa e se entretêm a ver passar os autocarros, a mãe e a mulher que visitam os seus familiares na prisão política, a conversa dos interrogadores frente ao interrogado que os escuta de olhos vendados e a conversa doméstica de um casal de meia idade que desvenda memórias (reais ou imaginárias) do horror inominável são os quatro pontos de partida para esta primeira incursão d’A Escola da Noite no universo de Harold Pinter.
Com espaço cénico de Ana Rosa Assunção, Jorge Ribeiro e Rogério de Carvalho, figurinos e adereços de Ana Rosa Assunção, desenho de luz de Jorge Ribeiro e sonoplastia de Rogério de Carvalho e Zé Diogo, o espectáculo conta com as interpretações de Igor Lebreaud, Maria João Robalo, Miguel Magalhães, Ricardo Kalash e Sofia Lobo.
É recomendado para maiores de 16 anos e estará em cena até 10 de Junho, de quarta a sábado às 21h30 e aos domingos às 16h00. Os bilhetes custam entre 5 e 10 Euros e podem ser reservados pelos contactos habituais do Teatro: 239 718 238 / 966 302 488 / geral@aescoladanoite.pt.

MIGUEL CASTRO CALDAS NO CLUBE DE LEITURA
Miguel Castro Caldas – escritor, professor de dramaturgia, tradutor, intérprete e encenador – é o convidado de Maio do Clube de Leitura Teatral, dando continuidade ao ciclo dedicado à dramaturgia portuguesa contemporânea, iniciado em Outubro de 2017. Serão lidas duas peças da sua autoria – “Terreno Selvagem” e “não costumo falar contigo” – na sessão que terá lugar no TCSB na terça-feira, dia 15 de Maio, pelas 18h30. Como habitualmente, tanto a participação como leitor/a como a assistência à leitura pública são gratuitas, solicitando-se apenas a inscrição prévia, através do e-mail do Clube: clube.leitura.teatral@gmail.com.
O Clube de Leitura Teatral é uma co-organização entre o TAGV e A Escola da Noite/TCSB, actualmente na sua terceira temporada. Uma vez por mês, alternando entre dois espaços, são apresentadas leituras de textos dramáticos. Qualquer pessoa pode participar como leitora, independentemente de ter ou não experiência de representação, e todas as sessões públicas têm entrada livre.

FLORES DE LIVRO NOS SÁBADOS PARA A INFÂNCIA
A 19 de Maio, Cláudia Sousa regressa ao Bar/Livraria do Teatro para uma nova sessão de “Flores de Livro – leitura para a infância”, indicada para maiores de 2 anos. Da sua inconfundível mala saem sempre livros cheios de histórias e de desenhos para encantar miúdos e graúdos, sentados na roda de almofadas azuis que são já uma das imagens de marca dos Sábados para a Infância no TCSB.
A sessão começa às 11h00 e os bilhetes custam 3 Euros (individual) ou 5 Euros (adulto/a + criança). É possível reservar lugar, pelos contactos habituais do Teatro da Cerca de São Bernardo.

Coimbra, Teatro da Cerca de São Bernardo
Programação de 14 a 20 de Maio de 2018

LEITURA
Clube de Leitura Teatral – com Miguel Castro Caldas
15 de Maio de 2018
Terça-feira, 18h30
M/12 > 60′
entrada gratuita
org. A Escola da Noite / TAGV

TEATRO [ESTREIA]
Cinzas…
de Harold Pinter
A Escola da Noite
17 de Maio a 10 de Junho
quarta a sábado, 21h30
domingos, 16h00
M/16 > 1h40 com intervalo
Preços: 5 a 10 Euros

LEITURA PARA A INFÂNCIA
Flores de Livro
Cláudia Sousa
19 de Maio de 2018
Sábado, 11h00
Bar/Livraria do TCSB > M/2 > 50′
Preços: 5,00 € (adulto+criança); 3,00 € (individual)
[Sábados para a infância no TCSB]

Informações e reservas:
239 718 238 / 966 302 488 / geral@aescoladanoite.pt

Ana Biscaia nos Sábados para a Infância: Aprendo sobre a Palestina desenhando sobre ela

Quinta-feira, Maio 10th, 2018

Ana Biscaia dirige no próximo Sábado, 12 de Maio, uma oficina de ilustração para os mais novos: “O meu sketch book é a Palestina (aprendo sobre a Palestina desenhando sobre ela). A iniciativa integra o programa “Sábados para a Infância no TCSB” e destina-se a crianças a partir dos 6 anos.

DSC06886

A ilustradora Ana Biscaia – autora do livro “Que luz estarias a ler?” e presença habitual nos Sábados para a infância no TCSB – propõe esta semana uma nova oficina de ilustração, centrada nos direitos humanos e na situação do povo da Palestina, em particular as suas crianças.
No texto que escreveu sobre esta oficina, Ana Biscaia explica o que a motiva: “No mundo em que vivemos, muito perto de nós, na Palestina (sim, Palestina, um país chamado Palestina) meninos, meninas, pais, mães, filhos vivem sob ocupação de outro país, outro estado, chamado Israel. Como é que o meu sketchbook pode explicar isto? Que histórias é que podemos desenhar?”.
Assumindo que “são histórias um pouco violentas, mas onde também se pode encontrar alguma ternura”, a ilustradora convidará os participantes a conhecerem “Ahed Tamimi, a menina palestina, de 16 anos, que ousou esbofetear um soldado israelita, porque não aceita a perseguição a que a família está sujeita”.
“Neste país – lembra a artista – há praias, pesca, água, filmes, poemas, teatro: e tudo isto pode ir parar dentro do nosso caderno”.

A oficina destina-se a crianças a partir dos 6 anos, começa às 10h30 e tem a duração de duas horas e meia. A inscrição custa 10 Euros e pode ser feita pelos contactos habituais do TCSB: 239 718 238 / 966 302 488 / geral@aescoladanoite.pt.

ANA BISCAIA

Ana Biscaia (foto: Ali Matay)

Ana Biscaia (foto: Ali Matay)

Ana Biscaia nasceu na Figueira da Foz, em 1978. Estudou Design de Comunicação na Universidade de Aveiro e trabalhou como designer gráfica, mas foi a ilustração do primeiro livro (Negrume, 2006) que lhe abriu as portas para um mundo novo e para a formação mais marcante, na Suécia. Em Estocolmo, na Konstfack University College of Arts, Crafts and Design, construiu grande parte da sua linguagem estilística, moldada pela importância do desenho e pela preferência pelo uso da grafitte. Mais tarde, viria a ilustrar a edição sueca de “Flor de Mel”, um dos romances juvenis de Alice Vieira, ganhando o Peter Pan Prize Silver Star, atribuído pela secção sueca do IBBY. Conta com quase duas dezenas de publicações, individuais e colectivas, e os seus trabalhos já foram exibidos em mais de 30 exposições, em Portugal, na Suécia, no Brasil, na Colômbia, na Alemanha, em Espanha e na Suíça. Com a obra “A cadeira que queria ser sofá” (texto de Clovis Levi), venceu o Prémio Nacional de Ilustração em 2012, atribuído pela Direcção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas.

Coimbra, Teatro da Cerca de São Bernardo
Programação de 7 a 31 de Maio de 2018

ILUSTRAÇÃO | OFICINA
O meu sketch book é a Palestina
(aprendo sobre a Palestina desenhando sobre ela)
Ana Biscaia
12 de Maio de 2018
Sábado, 10h30
M/6 > 150′
Preço: 10,00 €
[Sábados para a infância no TCSB]

evento FB

informações e reservas:
239 718 238 / 966 302 488 / geral@aescoladanoite.pt