Archive for Dezembro, 2019

Hoje no TCSB: 20 anos de Segue-me à Capela, com lotação esgotada

Sábado, Dezembro 14th, 2019

Dia de festa no TCSB: as “Segue-me à Capela” festejam o 20.º aniversário, com a casa cheia e um concerto repleto de convidados.

O mundo a 7 vozes
7 vozes, 7 cantos, 7 mulheres. Como as cores do arco-íris, as pétalas da rosa, os dias da criação.
7 vozes, 7 nomes: Ananda, Catarina, Joana, Guida, Maria João, Mila, Sílvia.
Cantam por instinto e paixão telúrica. O cantar delas evoca todos os cânticos do mundo, numa suave e madura alquimia de sons sentidos.
Segue-me à Capela junta vários tempos, diferentes músicas, lugares distintos. E a mesma identidade – a delas, que é também a nossa.
Sagrada e profana, a expressão deste modo de estar transforma-se em cada espectáculo, porque é assim a música e o que dela se colhe.
A estrada comum das 7 já conta 20 anos. Muito tempo ou quase nada. Imensa, porém minúscula para todo o (en)canto a descobrir. É por esse rumo que elas vão.

Viriato Teles

MÚSICA
20 Anos
Segue-me à Capela [ESGOTADO]

14 de Dezembro de 2019
sábado, 21h30
M/6 > 90′ > 5 a 10 Euros

informações e reservas:
239 718 238 / 966 302 488 / geral@aescoladanoite.pt

Curso Livre de Teatro

Terça-feira, Dezembro 10th, 2019

A Escola da Noite realiza em 2020 um Curso Livre de Teatro, em horário pós-laboral.
O modelo do Curso assenta na prática teatral e assume o processo de construção do espectáculo como fio condutor, acompanhando a criação e apresentação de duas produções da companhia: um clássico do teatro português – “O Fidalgo Aprendiz”, de D. Francisco Manuel de Melo (1608-1666) – e um texto da dramaturgia europeia contemporânea – “(Tio) Vânia”, de Howard Barker (1946).
Preferencialmente destinado a intérpretes, o curso é aberto também às áreas da produção, da técnica e da cenografia e figurinos: das 10 vagas agora abertas, prevê-se que três delas sejam destinadas a áreas que não a interpretação.
O Curso organiza-se em dois módulos, num total de 121 sessões de trabalho e 473 horas de formação. Entre 19 de Fevereiro e 13 de Junho de 2020 será criado “O Fidalgo Aprendiz”, com encenação de António Augusto Barros. Os trabalhos de preparação e apresentação de “(Tio) Vânia” decorrem entre 16 de Setembro e 12 de Dezembro, sob a direcção de Rogério de Carvalho. Por regra, as sessões decorrem no Teatro da Cerca de São Bernardo, de quarta a sexta-feira, entre as 19h00 e as 23h00, e aos sábados, entre as 14h30 e as 19h30.
Para além do contacto com os dois encenadores, o grupo vai trabalhar com as equipas artística, técnica e de produção d’A Escola da Noite, integrando-se no modelo de funcionamento da companhia, e poderá usufruir de acções de formação pontuais que tenham lugar ao longo do ano. A formação incluirá ainda outras acções de formação pontuais ao longo do ano. Ainda que organizado à volta do processo criativo, do pressuposto do fazer concreto, o curso prevê espaços de reflexão sistemáticos com incidência especial: 1) nas teorias do actor; 2) nos processos de trabalho dramatúrgico; 3) na abordagem de autores e obras que marcam a noção de dramaturgia contemporânea.

Destinatários (M/18):

1. Profissionais de outras áreas que tenham vivenciado práticas teatrais diversas – escolares, universitárias, amadoras ou outras – e que querem intensificar a sua relação com o Teatro;

2. Diplomados/as ou estudantes do ensino artístico que pretendem complementar de forma prática a sua formação.

Calendário e horários (pós-laboral):
19 de Fevereiro a 12 de Dezembro de 2020
quarta a sexta-feira, 19h00 – 23h00; sábados, 14h30 – 19h30
interrupções: 5 a 14 de Abril (Páscoa) e 14 de Junho a 15 de Setembro de 2020 (Férias de Verão)

Formadores/as:
António Augusto Barros (coordenador)
Ana Rosa Assunção, Danilo Pinto, Eduardo Pinto, Igor Lebreaud, João Mendes Ribeiro, Maria João Robalo, Miguel Magalhães, Pedro Rodrigues, Rogério de Carvalho, Rui Valente, Sofia Lobo, Zé Diogo

Prazo de candidatura:
10 de Dezembro de 2019 a 15 de Janeiro de 2020

Documentos para candidatura:
carta de motivação
curriculum vitae
fotografia
indicação da área a que se candidata (interpretação / técnica de palco / produção / cenografia e figurinos)

Preço:
€ 750,00 (prestação única ou repartido em duas prestações)

Divulgação dos resultados da selecção:
31 de Janeiro de 2020

Informações e inscrições:
239 718 238 / 966 302 488 / geral@aescoladanoite.pt

Hoje no TCSB: último dia de “Armadilha”

Sábado, Dezembro 7th, 2019
“Armadilha” (foto: Renato Roque)

Termina hoje a mini-temporada da DEMO no TCSB. “Armadilha”, espectáculo construído a partir da obra do escritor Rui Nunes, despede-se esta noite, com a última sessão às 21h30.

Faça-nos companhia!

TEATRO
Armadilha
a partir do universo literário de Rui Nunes
DEMO – Dispositivo Experimental, Multidisciplinar e Orgânico

direcção artística DEMO | Dispositivo Experimental, Multidisciplinar e Orgânico criação e interpretação Cheila Pereira, Cláudio Vidal, Gil Mac, Margarida Cabral, Patrick Murys e Paula Rita Lourenço textos Rui Nunes desenho de luz Nuno Patinho composição musical António Lourenço apoio à concepção plástica Eduardo da Conceição figurinos Margarida Cabral registo fotográfico Renato Roque registo vídeo Vítor Costa design gráfico Whatever trademark direcção de produção DEMO produção executiva Fernando Miguel Oliveira

6 e 7 de Dezembro de 2019
sexta e sábado, 21h30
M/16 > 90′
Preços: Normal, 10€; Estudante, jovem, M/65, profissionais e amadores das artes do espectáculo, 6€; funcionários/as da CMC e entidades protocoladas, 5€

informações e reservas:
239 718 238 / 966 302 488 / geral@aescoladanoite.pt


Hoje no TCSB: “Armadilha”

Sexta-feira, Dezembro 6th, 2019
“Armadilha” (foto: Renato Roque)

A DEMO (Dispositivo Experimental, Multidisciplinar e Orgânico) traz ao TCSB “Armadilha”, um espectáculo que mergulha no universo da obra do escritor Rui Nunes, em particular da trilogia “A Mão do Oleiro”, “Barro” e “Armadilha”.

Para ver hoje e amanhã, sempre às 21h30.

TEATRO
Armadilha
a partir do universo literário de Rui Nunes
DEMO – Dispositivo Experimental, Multidisciplinar e Orgânico

direcção artística DEMO | Dispositivo Experimental, Multidisciplinar e Orgânico criação e interpretação Cheila Pereira, Cláudio Vidal, Gil Mac, Margarida Cabral, Patrick Murys e Paula Rita Lourenço textos Rui Nunes desenho de luz Nuno Patinho composição musical António Lourenço apoio à concepção plástica Eduardo da Conceição figurinos Margarida Cabral registo fotográfico Renato Roque registo vídeo Vítor Costa design gráfico Whatever trademark direcção de produção DEMO produção executiva Fernando Miguel Oliveira

6 e 7 de Dezembro de 2019
sexta e sábado, 21h30
M/16 > 90?
Preços: Normal, 10€; Estudante, jovem, M/65, profissionais e amadores das artes do espectáculo, 6€; funcionários/as da CMC e entidades protocoladas, 5€

informações e reservas:
239 718 238 / 966 302 488 / geral@aescoladanoite.pt

Rui Nunes, autor de “Armadilha”

Quinta-feira, Dezembro 5th, 2019

Vê-se como um escritor à margem? Pensa nisso?
Não, não penso. E nem percebo que digam isso. A margem não é um sítio onde eu esteja, é um sítio onde me põem. É completamente diferente.
(Rui Nunes, em entrevista ao Público, 16/11/2018)

“Armadilha”, pela DEMO (foto: Renato Roque)

“Armadilha”, o espectáculo que a DEMO traz a Coimbra este fim-de-semana, é construído a partir do universo literário de Rui Nunes, autor de uma vasta obra ao longo de mais de 50 anos de carreira literária.
Venha descobri-lo!

Escritor português e professor de Filosofia, Rui Nunes nascido em Novembro de 1947. Licenciou-se em Filosofia pela Universidade de Lisboa e enveredou pela atividade de escritor em paralelo com a de professor de Filosofia, na Escola Secundária Rainha D. Amélia, em Lisboa.
Na década de 60, passou pelos jornais, tendo visto censurados muitos dos trabalhos.
Com muitas dificuldades, publicou o seu primeiro livro As Margens em 1968, tendo que suportar as despesas da edição. Contudo, a sua atividade literária só assume continuidade a partir de 1976, quando, depois de ter regressado da Austrália, em 1974, publica Sauromaquia.
Imprimindo à sua escrita um discurso de características próprias, Rui Nunes não nega a influência de escritores que a vida lhe foi permitindo conhecer, nomeadamente Kafka. Temas como a dor, a doença e a morte são recorrentes nos seus livros.
Porém, e apesar desta temática recorrente que flúi na sua obra, o autor assume o ato de escrita como uma forma de sublimar a dor e com preciosos e comprovados (por ele) poderes terapêuticos. Por isso, gosta e tem prazer em escrever.
Leitor da obra de Agustina Bessa-Luís, Maria Velho da Costa, Maria Gabriela Llansol e de José Saramago, entre outros. Rui Nunes aprecia também outros géneros artísticos, nomeadamente o cinema (Bergman) e a música (Barroca e Jazz), admitindo que estes podem suscitar-lhe o gosto pela escrita.
Premiado, em 1992, com o Prémio do Pen Club Português de Ficção, atribuído ao seu livro Osculatriz, os seus novos títulos foram sempre, saudavelmente, apreciados pela crítica literária.
Considerado por Manuel Frias, membro do Júri que atribuiu ao seu livro Grito, em 1998, o Prémio GPRN (Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores (APE)), “uma das estrelas mais brilhantes da constelação literária portuguesa – ocultada, tantas vezes pelas nuvens do fácil e do óbvio”, Rui Nunes entende que o sucesso de um livro não se prende com a quantidade das vendas, mas sim com o “espaço de cumplicidade” entre autor e leitor que é capaz de criar.
(wook)

TEATRO
Armadilha
a partir do universo literário de Rui Nunes
DEMO – Dispositivo Experimental, Multidisciplinar e Orgânico
6 e 7 de Dezembro de 2019
sexta e sábado, 21h30
M/16 > 90′ > 5 a 10 Euros

informações e reservas:
239 718 238 / 966 302 488 / geral@aescoladanoite.pt