Espanto | ANA MADUREIRA E VAHAN KEROVPYAN

“Espanto”, de Ana Madureira e Vahan Kerovpyan (© Patrick Esteves)

O espantalho faz o seu trabalho. O corvo é um estorvo.  
Juntos começam de novo. E para seu espanto encontram a um canto…um ovo. 
Um espectáculo de teatro e música em que as vozes vão perdendo o medo das alturas, desafiando a lei e a  gravidade, num apelo aos espíritos atentos e perguntadores e à importância da ligação cabeça-coração-acção. 

Intrigados por dualidades como lei/liberdade, ordem/espontaneidade, conhecido/desconhecido,  segurança/risco, hierarquia/igualdade, pomos em cena um espantalho e um corvo. O primeiro, criado para  espantar, cumpre o seu dever. O segundo, irreverente por natureza, traz a inquietude e o questionamento. O corvo abre uma fenda no campo quadrado do espantalho, e com ela abre a possibilidade de um verdadeiro  encontro entre ambos. As duas figuras, opostas e classicamente inimigas, vão descobrindo através das suas  vivências, que não há velho sem novo, não há história sem estorvo, não há espantalho sem corvo, não há omelete sem ovo. Juntos, começam de novo e fazem uma revolução. Espanto é um espectáculo essencialmente físico e musical, de uma grande depuração visual e cenográfica.  Toda a música, que serve a história, é tocada ao vivo pelos dois intérpretes-músicos. 

Na nossa pesquisa, foram referências importantes o poema Deveres, de Matilde Rosa Araújo, o conto  “Vicente”, do livro Bichos, de Miguel Torga e os livros Daqui Ninguém Passa!, de Isabel Minhós Martins e  Bernardo P. Carvalho e Le Petit Homme et Dieu, de Kitty Crowther.

TEATRO
Espanto
ANA MADUREIRA E VAHAN KEROVPYAN
30 de Março de 2024
sábado, 11h00
> M/6 > 45 min > 5€
[SÁBADOS PARA A INFÂNCIA NO TCSB]

informações e reservas:
239 718 238 / 966 302 488 / bilheteira@aescoladanoite.pt

criação, interpretação, texto, música, cenografia, figurinos Ana Madureira e Vahah Kerovpyan 
direcção Ana Madureira 

pesquisa e apoio dramatúrgico Marta Figueiredo desenho de luz Vasco Ferreira contrabacia Nuno Guedes cigar box Emanuel Santos produção A Toupeira coprodução Teatro Aveirense, Comédias do Minho, Fundação Lapa do Lobo apoios República Portuguesa-Cultura, Associação DesnorteArte, Museu Municipal de Espinho agradecimentos Ana Lúcia Figueiredo, Alice Juliana Silva, Magda Henriques, Ana Génio, Blaise Powell, Joana Guedes, Rita Betânia, Márcia Lança, Joana Pupo, Jaime Mears, TEP, Paulo Lobato Costa, Aram e Virginia,  Ilsa e Manuel, Maria Nvart e Helena, Natacha Sampaio, Rui Bandeira e Beatriz dos Panos.

“Espanto”, de Ana Madureira e Vahan Kerovpyan (© Carlos Fernandes)

ANA MADUREIRA E VAHAN KEROPYAN
Trabalham juntos desde 2013 nas áreas do teatro, música, clown, ilustração e pedagogia. Criam espectáculos, oficinas e publicações para crianças, famílias e adultos. Apostam no minimalismo cénico e no desenho narrativo depurado, que permita um verdadeiro encontro entre os criadores e o público. As suas ferramentas de eleição são o humor, o jogo, a rima, a reciclagem, a música viva, a música ao vivo e questões sérias. Das suas criações destacam: Lav Lur, um concerto encenado (2014); Dama Pé de Mim (2016), encomenda do projecto pedagógico das Comédias do Minho; Poema para Noeda (2021), integrado no projecto ERRE, Circolando – Central Eléctrica; Espanto (2022); Bruma Bruna Bruta Bruxa (2023), encomenda do 23 Milhas para o Festival Rádio Faneca.

Comments are closed.