A.norm@l | TEATRO EXTREMO

Será que existe luz debaixo da terra?
Ela sente que não se encaixa. Parece que nunca faz nada certo, até que um dia, ela ouve a montanha a chorar. A.norm@L é a história de uma viagem ao fundo da terra. Como poderei partir nesta viagem se tenho medo do escuro? Será que existe luz debaixo da terra? Nesse mergulho ao desconhecido, iremos encontrar seres que precisam de silêncio e de escuro para crescer. Iremos até ao fundo da terra para descobrir o que dizem as raízes, umas às outras!

texto a partir de improvisações Amarílis Anchieta dramaturgia Amarílis Anchieta e Juliana Pinho encenação Juliana Pinho interpretação Bibi Gomes, Dora Sales e Nicolas Brites imagem e figurinos Maria Taborda cenografia Dora Sales desenho de Luz Daniel Verdades música Pedro Pinto-Pinto e Filipe Freire com colaboração de Inês Sampaio sonoplastia Miguel Lima desenho de som Sandro Esperança direção técnica Celestino Verdades técnicos de palco Daniel Verdades e Sandro Esperança construção de cenografia e adereços Daniel Verdades e Dora Sales costureira Rosário Bálbi direção de produção Sofia Oliveira produção Josefina Correia e Paula Almeida comunicação e assessoria de imprensa Nádia Santos promoção Victor Pinto Ângelo design gráfico P2F Atelier produção audiovisual Diogo Barbosa realização Spot TV Duarte Teixeira voz off spot TV Paulo Lázaro fotografia José Frade parceria Agrupamento de Escolas Anselmo de Andrade / EB1/JI Feliciano Oleiro agradecimentos Maria de Lourdes de Castro, alunos, educadores, professores e auxiliares de ação educativa da EB/JI Feliciano Oleiro, Hugo Migata, Mário Rainha Campos, Osvaldo JSVC, Teatro O Bando

TEATRO
A.norm@l
TEATRO EXTREMO
28 de Setembro de 2024
Sábado, 11h00
> M/3 > 60 min > 5€

informações e reservas:
239 718 238 / 966 302 488 / bilheteira@aescoladanoite.pt

TEATRO EXTREMO
Sediado em Almada desde 1994, o Teatro Extremo constitui-se Associação Cultural em 1996. Estrutura profissional com apoio do Ministério da Cultura/DGArtes, Câmara Municipal de Almada, Juntas de Freguesia de Almada, municípios e entidades públicas e privadas. Em 2002 foi-lhe atribuído a Medalha de Prata de Mérito Cultural da Cidade de Almada. Desde 2015 garante o funcionamento e a programação do equipamento municipal Teatro-Estúdio António Assunção.

Até à data o Teatro Extremo apresentou-se a mais de meio milhão de espetadores em Portugal, Espanha, França, Alemanha, Bélgica, Itália, Inglaterra, Brasil, Cabo Verde e Índia. Desde o início da sua atividade criou espetáculos de produção própria ou em coprodução, investindo na dramaturgia contemporânea e na itinerância. Organiza desde 1996 “Sementes – Mostra Internacional de Artes para o Pequeno Público”, festival multidisciplinar e descentralizado para a infância, juventude e público familiar. Desenvolve um Serviço Educativo com projetos de formação e de sensibilização e captação de públicos com o envolvimento da comunidade.

A Companhia tem como objetivo central a realização de um teatro para as novas gerações que equacione a problemática dos limites da condição humana como singularidade artística. Um teatro que estimule, consolide e amplifique hábitos de fruição estética, procurando uma relação consequente entre as criações, a programação, disseminação, acolhimento e formação e que sirva de âncora de produção e amplificação de conhecimento.

Para tal estabelecemos uma estratégia artística que germina na expressão polissémica do ator e que contaminada por distintas referências poéticas, históricas, científicas, sociológicas, valorize a multiculturalidade, origine capacidades de rutura e imagine mundos alternativos, tendo em conta as lógicas periféricas do contexto onde se insere, trabalhando ativamente com a sua comunidade, mas que tem como horizonte uma visão cosmopolita e global.

Comments are closed.