Archive for the ‘Circulares à imprensa’ Category

Catrapum, Marionetas da Feira e Taleguinho com sessões para escolas no TCSB

Segunda-feira, Fevereiro 19th, 2018

Entre 23 de Fevereiro e 12 de Março, A Escola da Noite acolhe no Teatro da Cerca de São Bernardo três espectáculos para crianças. Numa extensão do programa dos Sábados para a Infância no TCSB, serão apresentadas sessões especiais para jardins de infância e escolas do 1º Ciclo do Ensino Básico, durante a semana, de “Um, dois, três… Papelinho Japonês” (Catrapum Catrapeia), “Objetosfera” (Marionetas da Feira) e “Costurar cantigas e histórias” (Taleguinho). As inscrições estão abertas!

fotoprimeirodia

“Um, dois, três… Papelinho Japonês!”, pela Catrapum Catrapeia

Papelinho Japonês: a arte do Origami em palco
A programação tem início já esta sexta-feira, 23 de Fevereiro, com duas sessões do espectáculo de teatro e música “Um, dois, três… Papelinho Japonês”, pela Catrapum Catrapeia (Vânia Couto e Sandra Henriques). Estreado no TCSB em 2017, o espectáculo oferece uma visita ao mundo imaginário do papel dobrado. Em palco, entre músicas e danças tradicionais japonesas e as formas mágicas do origami (incluindo em tamanho gigante), duas personagens “brincam, dançam, exploram, tocam e mudam de papel, que se transforma em barcos, dragões, caixas, cores, pássaros gigantes e muitas outras coisas”.
As sessões terão lugar às 10h30 e às 14h30. No Sábado, o espectáculo para o público familiar está marcado para as 11h00.

"Objetosfera", pelas Marionetas da Feira

“Objetosfera”, pelas Marionetas da Feira

Objetosfera: objectos animados, com música ao vivo
A parceria entre as Marionetas da Feira e Jorri (a Jigsaw) resulta num novo espectáculo que chega agora a Coimbra. “Objetosfera” é uma sucessão de manipulações e transmutações de objectos que transmitem ao público situações de poesia visual ou até comédia. Rui Sousa (marionetista, construtor, cenógrafo e encenador) transmuta e manipula os objectos e João Silva (músico e produtor) constrói a banda sonora em tempo real, com programações analógicas e instrumentos de brincar. Os espectáculos para jardins de infância e escolas acontecem no dia 2 de Março (Sexta-feira, 10h30 e 14h30) e a sessão para crianças e famílias, no âmbito dos Sábados para a Infância, está marcada para dia 3 de Março, às 11h00.

"Costurar cantigas e histórias", pelo Taleguinho

“Costurar cantigas e histórias”, pelo Taleguinho

Costurar cantigas e histórias: o “clássico” do Taleguinho
A encerrar este ciclo especial, o clássico dos Sábados para a Infância, que estreou no TCSB há precisamente três anos e que desde então não tem parado de encantar miúdos e graúdos. O Taleguinho, de Catarina Moura e Luís Pedro Madeira, volta a apresentar o espectáculo “Costurar cantigas e histórias”, que proporciona o contacto com a música tradicional portuguesa, através de um alinhamento que inclui canções, histórias e lengalengas, contadas e cantadas. Cada apresentação é uma experiência de cumplicidades, onde os sons, as palavras, os gestos, as imagens e os silêncios a todos surpreendem.
Depois da sessão para o público familiar, marcada para 10 de Março, Sábado, às 11h00, as duas sessões para creches e escolas do primeiro ciclo terão lugar na manhã de dia 12, Segunda-feira, às 10h00 e às 15h00.

As sessões para escolas destes três espectáculos realizam-se mediante marcação prévia, que deve ser feita pelos contactos habituais do Teatro da Cerca de São Bernardo: 239 718 238 / 966 302 488 / geral@aescoladanoite.pt. Os bilhetes custam 3 Euros por criança, sendo a entrada gratuita para as/os educadoras/es acompanhantes. Nas sessões para o público familiar, aos Sábados, para as quais também é possível efectuar reserva, os bilhetes de adulto+criança custam 8 Euros.

Coimbra, Teatro da Cerca de São Bernardo
Programação para escolas, crianças e famílias
23 de Fevereiro a 12 de Março de 2018

TEATRO | MÚSICA
Um, Dois, Três… Papelinho Japonês!
Catrapum Catrapeia [Vânia Couto e Sandra Henriques]
24 de Fevereiro de 2018
Sábado, 11h00
M/3 > 50′
Preços: 8 € (adulto+criança); 5 € (individual)

Sessões para jardins de infância e 1.º Ciclo do Ensino Básico (mediante marcação):
23 de Fevereiro de 2018
Sexta-feira, 10h30 e 14h30
Preço: 3 € / criança (entrada gratuita para educadoras/es acompanhantes)

TEATRO DE MARIONETAS | MÚSICA
Objetosfera
Marionetas da Feira
3 de Março de 2018
Sábado, 11h00
M/3 > 50′
Preços: 6,00 € (normal); 4,00 € (<12); 8,00 € (adulto+criança)

Sessões para jardins de infância e 1.º Ciclo do Ensino Básico (mediante marcação):
2 de Março de 2018
Sexta-feira, 10h30 e 14h30
Preço: 3 € / criança (entrada gratuita para educadoras/es acompanhantes)

MÚSICA
Costurar cantigas e histórias
Taleguinho
10 de Março de 2018
Sábado, 11h00
M/3 > 50′
Preços: 6,00 € (normal); 4,00 € (<12 anos); 8,00 € (adulto+criança)

Sessões para jardins de infância e 1.º Ciclo do Ensino Básico (mediante marcação):
12 de Março de 2018
Segunda-feira, 10h00 e 11h15
Preço: 3 € / criança (entrada gratuita para educadoras/es acompanhantes)

informações e reservas:
239 718 238 / 966 302 488 / geral@aescoladanoite.pt

AUTO DOS FÍSICOS, CLUBE DE LEITURA E BRINCAR AO TEATRO: SEMANA CHEIA NO TCSB

Segunda-feira, Fevereiro 5th, 2018

A Escola da Noite volta a apresentar em Coimbra, entre 8 e 17 de Fevereiro, o espectáculo “Auto dos Físicos”. A divertida farsa escrita por Gil Vicente, estreada pela companhia em 2014, estará em cena de quinta a sábado, às 21h30, estando igualmente previstas algumas sessões especiais para o público escolar. Uma nova sessão do Clube de Leitura Teatral, com José Maria Vieira Mendes, e a oficina “Brincar ao Teatro”, nos Sábados para a Infância, são as outras propostas da semana.

cartazFIS2018

AUTO DOS FÍSICOS
O “Auto dos Físicos” foi escrito e representado pela primeira vez entre 1519 e 1524. Um padre “morre” de um amor não correspondido e quatro médicos (os “físicos”) visitam-no à vez, sugerindo estranhos remédios. Brásia Dias, a parente que primeiro o tenta ajudar, um moço transformado em (fraco) alcoviteiro e um padre confessor que compreende “bem demais” o sofrimento do seu colega completam o leque de personagens desta farsa, que termina com uma “ensalada” poética e musical, com referências a outras peças do autor e a elementos do cancioneiro tradicional.
A peça apresenta caricaturas de pessoas concretas – os quatro “físicos” correspondem a pessoas que realmente existiam e que o público facilmente reconhecia – mas é também, como quase toda a obra de Vicente, um retrato da corte, da Igreja e da sociedade portuguesas do século XVI em Portugal.

autodosfisicos01

Co-produção com a Ordem dos Médicos
O espectáculo estreou em 2014, em co-produção com a Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, no âmbito das comemorações dos 35 anos do Serviço Nacional de Saúde. Perante o convite que então lhe foi feito pela organização destas comemorações, a companhia não quis deixar de se juntar à mobilização em torno da defesa daquela que é um das mais justas e importantes conquistas da democracia portuguesa. “Como a educação e a cultura, a saúde é uma das áreas em que o papel do Estado é essencial para garantir o desenvolvimento de uma sociedade mais humana, solidária e democrática” – escreveu A Escola da Noite na altura. Quatro anos depois, e para além de reiterar este princípio, a companhia lembra que a escolha desta peça valoriza simultaneamente a importância intemporal da saúde e dos seus profissionais na vida das pessoas e o papel do humor e da arte na resistência às afrontas e na luta por um mundo melhor.
Ainda no âmbito desta co-produção, A Escola da Noite e a Ordem dos Médicos convidam todos os médicos da região a trazer amigos ao Teatro: na compra de um bilhete a preço normal, os médicos têm direito a um segundo bilhete de oferta durante toda a temporada do espectáculo no Teatro da Cerca de São Bernardo.

Uma língua viva
Como sempre faz nas suas incursões vicentinas, A Escola da Noite conjuga uma abordagem cénica contemporânea com o respeito incondicional pelo texto original, sem concessões nem actualizações forçadas. Cabe às restantes linguagens postas em cena (a gestualidade, a cenografia, os figurinos, os adereços, a música) o papel de ajudar a esclarecer os sentidos de algumas palavras que, ao longo dos 500 anos que nos separam de Gil Vicente, foram caindo em desuso. Para os casos mais difíceis, existe um glossário, distribuído gratuitamente aos espectadores, que inclui também, neste caso, algumas notas sobre o contexto histórico em que o texto foi escrito e sobre as pessoas reais que Vicente imortalizou. Esta opção acrescenta um atractivo adicional ao espectáculo: uma prazerosa descoberta ou redescoberta de palavras “estranhas” mas que fazem parte da vida e da riqueza da língua portuguesa.
Com encenação de António Augusto Barros, o espectáculo conta com as interpretações de Filipe Eusébio, Igor Lebreaud, Maria João Robalo, Miguel Magalhães e Sofia Lobo. O cenário recupera um objecto carismático da história da companhia – a caixa desenhada por João Mendes Ribeiro que tem acompanhado boa parte do percurso vicentino d’A Escola da Noite.

José Maria Vieira Mendes

José Maria Vieira Mendes

CLUBE DE LEITURA TEATRAL
Já amanhã, terça-feira, 6 de Fevereiro, pelas 18h30, tem lugar uma nova sessão do Clube de Leitura Teatral, iniciativa que A Escola da Noite e o Teatro Académico Gil Vicente co-organizam pelo terceiro ano consecutivo, com sessões mensais realizadas alternadamente entre os dois espaços. No âmbito do ciclo dedicado à dramaturgia portuguesa contemporânea, em que diversos autores são convidados a dirigirem sessões de leitura das suas próprias peças, é agora a vez de José Maria Vieira Mendes. O escritor propõe a peça “Max e René. Um monólogo e um cão”. Como habitualmente, a entrada é gratuita.
José Maria Vieira Mendes nasceu em 1976 e escreve e traduz teatro. O seu trabalho no teatro tem estado ligado aos Artistas Unidos e ao Teatro Praga. Das suas peças destacam-se: Dois Homens (1998); Se o Mundo não fosse assim (2004); A Minha Mulher (2007); O Avarento ou A última festa (2007); Onde Vamos Morar (2008); Aos Peixes (2008) e ANA (2009). Foi distinguido com o Prémio Revelação Ribeiro da Fonte 2000 do Instituto Português das Artes do Espetáculo, Prémio ACARTE/Maria Madalena Azeredo Perdigão 2000 da Fundação Calouste Gulbenkian, Prémio Luso-Brasileiro de Dramaturgia António José da Silva 2006, atribuído pelo Instituto Camões e Funarte pela peça “A Minha Mulher”.

(foto: Eduardo Pinto)

(foto: Eduardo Pinto)

BRINCAR AO TEATRO
Nos Sábados para a Infância no TCSB, que todas as semanas propõem actividades artísticas para os mais novos e para o público familiar, assinala-se o regresso da oficina “Brincar ao Teatro”, dirigida pela actriz d’A Escola da Noite Maria João Robalo e destinada desta vez a crianças entre os 6 e os 10 anos. Os participantes vão poder experimentar figurinos e adereços, correr no palco, olhar para a plateia e ouvir e contar pequenas histórias. A sessão dura cerca de uma hora e meia e inclui uma visita a alguns dos cantos mais escondidos do TCSB. A inscrição custa 10 Euros e pode ser feita pelos contactos habituais do TCSB: 239 718 238 / 966 302 488 / geral@aescoladanoite.pt.

Coimbra, Teatro da Cerca de São Bernardo
Programação de 5 a 11 de Fevereiro de 2018

LEITURA
Max e René. Um monólogo e um cão.
de José Maria Vieira Mendes
Clube de Leitura Teatral
6 de Fevereiro de 2018
Terça-feira, 18h30
TAGV > 60′
entrada gratuita
Sessões preparatórias: 5/02, 18h30-21h30; 6/02, 15h00-18h00

TEATRO
Auto dos Físicos
de Gil Vicente
A Escola da Noite
8 a 17 de Fevereiro de 2018
quinta-feira a sábado, 21h30
sessões para escolas
(mediante reserva prévia):
7 a 16/02/2018
quarta a sexta-feira, 11h00 e 15h00
M/12 > 50′
5 a 10 Euros (sessões para escolas: 3 Euros/aluno)

OFICINA
Brincar ao Teatro (6-10)
Maria João Robalo / A Escola da Noite
10 de Fevereiro de 2018
Sábado, 11h00
6 aos 10 anos > 90′
Preço: 10 Euros

informações e reservas
239 718 238 / 966 302 488 / geral@aescoladanoite.pt

Fevereiro no TCSB: “Auto dos Físicos” e muita ilustração nos “Sábados para a infância”

Terça-feira, Janeiro 30th, 2018

“Auto dos Físicos”, o espectáculo de Gil Vicente que A Escola da Noite estreou em 2014, em co-produção com a Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, volta em Fevereiro ao palco do TCSB, para uma temporada de duas semanas, que inclui também algumas sessões especiais para o público escolar.
Nos Sábados para a infância, a ilustração está em destaque, com a presença de duas das mais reconhecidas ilustradoras portuguesas contemporâneas: Ana Biscaia e Rachel Caiano dirigem duas oficinas irresistíveis, a 3 e a 17 de Fevereiro.

Sofia Lobo, Miguel Magalhães e Filipe Eusébio, "Auto dos Físicos" (foto: Pedro Rodrigues)

Sofia Lobo, Miguel Magalhães e Filipe Eusébio, “Auto dos Físicos” (foto: Pedro Rodrigues)

AUTO DOS FÍSICOS
“Auto dos Físicos”, com encenação de António Augusto Barros, estreou em Setembro de 2014, no âmbito das comemorações dos 35 anos do Serviço Nacional de Saúde, promovidas pela Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos.
Desde então, foi apresentado mais de 50 vezes, em quatro temporadas em Coimbra e em 12 localidades de Portugal e Espanha (Arganil, Barcelos, Braga, Caldas da Rainha, Campo Benfeito, Casar de Cáceres, Castelo Branco, Covilhã, Évora, Guarda, Leiria e Matosinhos). Regressa agora ao palco do TCSB, para uma temporada de duas semanas, com seis sessões para o público em geral (8 a 17 de Fevereiro, de quinta a sábado) e seis sessões especiais para escolas (de 7 a 16 de Fevereiro, de quarta a sexta-feira), para as quais ainda é possível fazer inscrições de grupos.

“Uma bufonada de Carnaval”
A peça que Carolina Michaelis classificou como “uma bufonada de franca imoralidade de Carnaval” foi escrita e representada pela primeira vez entre 1512 e 1524. O texto encerra o livro das farsas na “Copilaçam” de 1562 mas viria a ser excluído, pela censura da Inquisição, na edição de 1586.
Acredita-se, pelo tom chocarreiro e pelo burlesco que a caracterizam, que foi representada em época de Carnaval. Um padre “morre” de um amor não correspondido e quatro médicos (os “físicos”) visitam-no à vez, sugerindo estapafúrdios remédios. Brásia Dias, a parente que primeiro o tenta ajudar, um moço transformado em (fraco) alcoviteiro e um padre confessor que compreende “bem demais” o sofrimento do seu colega completam o leque de personagens desta divertida farsa, rematada por uma “ensalada” vicentina, com referências e citações de outras peças do autor e a elementos do cancioneiro tradicional.
A peça apresenta caricaturas de pessoas concretas – os quatro físicos correspondem a pessoas que realmente exisitiam e que o público facilmente reconhecia – mas é também, como quase toda a obra de Vicente, um retrato da corte, da Igreja e da sociedade portuguesas do século XVI em Portugal.

ILUSTRAÇÃO NOS SÁBADOS PARA A INFÂNCIA
Sempre presente ao longo dos três anos de programação regular que já levam os “Sábados para a infância”, a ilustração ganha especial destaque neste mês de Fevereiro, com as oficinas dirigidas pelas reconhecidas e premiadas ilustradoras Ana Biscaia e Rachel Caiano.

foto

“TIGRES DE FATO DE BANHO na parede dos desenhos”, oficina de Ana Biscaia

Ana Biscaia, que entre outras distinções venceu o Prémio Nacional de Ilustração em 2012, propõe mais uma original actividade. Desta vez, desafia os mais pequenos a encherem uma parede de desenhos, ao sabor da sua imaginação e levemente inspirados em Matisse, Munari, Basquiat. Perguntando-se, curiosa, se irão aparecer “garoupas, peixes galo, meninas, tigres de fato de banho”, antecipa uma manhã especial, em que os participantes vão fazer crescer uma grande ilustração, “como uma hera, respirante, ofegante, parede fora”. Destinada a crianças a partir dos 4 anos e com a duração de três horas, a oficina “TIGRES DE FATO DE BANHO na parede dos desenhos” abre a programação do mês, logo a 3 de Fevereiro, pelas 10h00. A inscrição custa 10 Euros.

Rachel Caiano

Rachel Caiano

Duas semanas depois (17 de Fevereiro, 11h00), A Escola da Noite tem o prazer de acolher, pela primeira vez nos Sábados para a Infância, a ilustradora Rachel Caiano (Prémio Autores da SPA 2016, Prémio Bissaya Barreto de Literatura para a Infância 2014, finalista do Prémio Autores – Melhor Livro de Literatura Infanto-Juvenil 2013, da SPA, entre outros). A sessão começa com a apresentação do livro “O Mundo é redondo”, de Gertrude Stein, um clássico da literatura para a infância recentemente publicado em Portugal pela Ponto de Fuga, com ilustrações suas e tradução de Luísa Costa Gomes. Logo após a apresentação, que tem entrada livre e é aberta aos pais, tem início a oficina com o mesmo título do livro. No sub-palco do Teatro, Rachel promete montar “um ginásio desenhado das coisas redondas. Munidos de tintas e pincéis, papel e tesoura, todos são convidados a desenhar, pintar e inventar”. “Quantas coisas redondas esconde o mundo?” – eis o desafio a que vai responder com os miúdos, ao longo de uma hora e meia de oficina. A actividade destina-se a crianças entre os 5 e os 12 anos e a inscrição custa 10 Euros.
Ainda nos Sábados para a Infância, Fevereiro oferece uma nova edição da oficina “Brincar ao Teatro”, com a actriz d’A Escola da Noite Maria João Robalo (10 de Fevereiro, 11h00), e o regresso do espectáculo de teatro e música “Um, dois, três… papelinho japonês”, da Catrapum Catrapeia, com Vânia Couto e Sandra Henriques (24 de Fevereiro, 11h00). Em relação a este último, que nos propõe “uma visita ao mundo imaginário do origami, entre a música e a cultura do Oriente” e que estreou no TCSB em 2017, vão igualmente realizar-se duas sessões especiais para jardins de infância na sexta-feira imediatamente anterior (23 de Fevereiro, 10h30 e 14h30). Já é possível efectuar inscrições.

CLUBE DE LEITURA TEATRAL
Ainda no âmbito do ciclo dedicado à dramaturgia portuguesa contemporânea, com sessões dirigidas pelos próprios autores, o Clube de Leitura Teatral recebe este mês José Maria Vieira Mendes, que propõe a leitura da peça “Max e René. Um monólogo e um cão”. A leitura vai acontecer no Teatro Académico de Gil Vicente no dia 6 de Fevereiro, pelas 18h30, e as sessões preparatórias estão marcadas para 5 de Fevereiro (18h30 – 21h30) e para o próprio dia da leitura (15h00 – 18h00). Como habitualmente, tanto a participação como leitor/a como a “mera” assistência à sessão são gratuitas.

José Maria Vieira Mendes

José Maria Vieira Mendes

José Maria Vieira Mendes nasceu em 1976 e escreve e traduz teatro. O seu trabalho no teatro tem estado ligado aos Artistas Unidos e ao Teatro Praga. Das suas peças destacam-se: Dois Homens (1998); Se o Mundo não fosse assim (2004); A Minha Mulher (2007); O Avarento ou A última festa (2007); Onde Vamos Morar (2008); Aos Peixes (2008) e ANA (2009). Foi distinguido com o Prémio Revelação Ribeiro da Fonte 2000 do Instituto Português das Artes do Espetáculo, Prémio ACARTE/Maria Madalena Azeredo Perdigão 2000 da Fundação Calouste Gulbenkian, Prémio Luso-Brasileiro de Dramaturgia António José da Silva 2006, atribuído pelo Instituto Camões e Funarte pela peça “A Minha Mulher”.
O Clube de Leitura Teatral é uma co-organização d’A Escola da Noite / TCSB e do TAGV, aberta a qualquer pessoa (com ou sem experiência em artes cénicas), que promove mensalmente, de forma alternada entre os dois espaços, a leitura pública de textos teatrais.

Coimbra, Teatro da Cerca de São Bernardo
Programação de Fevereiro de 2018

OFICINA DE ILUSTRAÇÃO
TIGRES DE FATO DE BANHO
na parede dos desenhos
Ana Biscaia
3 de Fevereiro de 2018
Sábado, 10h00
M/4 > 180′
Preço: 10 Euros
Sábados para a infância no TCSB

LEITURA
Max e René. Um monólogo e um cão.
de José Maria Vieira Mendes
Clube de Leitura Teatral
6 de Fevereiro de 2018
Terça-feira, 18h30
TAGV > 60′
entrada gratuita
Sessões preparatórias: 5/02, 18h30-21h30; 6/02, 15h00-18h00

TEATRO
Auto dos Físicos
de Gil Vicente
A Escola da Noite
8 a 17 de Fevereiro de 2018
quinta-feira a sábado, 21h30
sessões para escolas
(mediante reserva prévia):
8 a 16/02/2018
quarta a sexta-feira, 11h00 e 15h00
M/12 > 50′
5 a 10 Euros (sessões para escolas: 3 Euros/aluno)

OFICINA
Brincar ao Teatro (6-10)
Maria João Robalo / A Escola da Noite
10 de Fevereiro de 2018
Sábado, 11h00
6 aos 10 anos > 90′
Preço: 10 Euros

APRESENTAÇÃO DE LIVRO E OFICINA DE ILUSTRAÇÃO
O Mundo é redondo
Rachel Caiano
17 de Fevereiro de 2018
Sábado, 11h00 (apresentação do livro); 11h30 – 13h00 (oficina)
5 – 12 anos > 90′
Preço: 10 Euros
(apresentação do livro com entrada livre)

TEATRO | MÚSICA
Um, Dois, Três… Papelinho Japonês!
Catrapum Catrapeia [Vânia Couto e Sandra Henriques]
24 de Fevereiro de 2018
Sábado, 11h00
M/3 > 50′
Preços: 8 € (adulto+criança); 5 € (individual)
Sábados para a infância no TCSB
Sessões para creches e jardins de infância: 23/02/2018, sexta-feira, 10h30 e 14h30

informações e reservas:
239 718 238 / 966 302 488 / geral@aescoladanoite.pt

Embarcação do Inferno chega a Leiria

Terça-feira, Janeiro 23rd, 2018

“Embarcação do Inferno”, a co-produção com que A Escola da Noite e o Cendrev assinalam os 500 anos do mais conhecido texto de Gil Vicente, prossegue em Janeiro a sua viagem pelo país. O Teatro José Lúcio da Silva, em Leiria, é a próxima sala a acolher o espectáculo, com uma sessão para o público em geral e duas sessões para escolas.

leiria jan

No âmbito da digressão nacional, que já passou por mais de uma dezena de cidades portuguesas, o projecto com que A Escola da Noite, de Coimbra, e o Centro Dramático de Évora assinalam os 500 anos do mais estudado texto vicentino chega esta a semana a Leiria. Para o Teatro José Lúcio da Silva estão agendadas três sessões de “Embarcação do Inferno”: duas para o público escolar, a 25 de Janeiro (quinta-feira, 10h30 e 14h30) e uma para o público em geral, a 26 de Janeiro (sexta-feira, 21h30). Os bilhetes podem ser adquiridos online ou na bilheteiras do Teatro.

Temas intemporais, 500 anos depois
“Embarcação do Inferno” é uma co-produção entre duas das companhias portuguesas que mais aprofundadamente têm trabalhado a obra de Gil Vicente e que partilham o gosto por trabalharem sempre o texto original, ainda que através de abordagens cénicas contemporâneas. Nos anos em que se comemoram os 500 anos da primeira apresentação e da primeira edição do “Auto de Moralidade da Embarcação do Inferno”, também conhecido como “Auto da Barca do Inferno” (2016-2018), os dois grupos assumem a vontade de celebrar com o público este momento fundador do Teatro Português: Gil Vicente não é “apenas” o nosso maior dramaturgo, ele é uma das figuras cimeiras da nossa literatura e da nossa cultura, pese embora o insistente esquecimento a que tem sido votado. À falta de datas precisas de nascimento e morte, é a sua obra que pode e deve ser comemorada, em particular o “Auto da Barca do Inferno”, o grande clássico do Teatro português e obra maior da Idade Média europeia.
As companhias convidam assim os espectadores a voltarem a olhar para a peça e a confrontarem-se com tudo o que ela continua a ter para nos oferecer, cinco séculos depois. No texto que escreveu para o programa do espectáculo, José Augusto Cardoso Bernardes salienta: “pela mão qualificada, segura e inventiva da Escola da Noite e do Centro Dramático de Évora, somos convidados a revisitar temas de sempre: o tempo, a morte, o merecimento. Para tal, nem sequer precisamos de sair completamente do século XXI. Com os pés assentes no nosso tempo, apuremos o ouvido para escutar a sensibilidade e a moral de um outro tempo. Descobriremos que, afinal, esse tempo estranho não está ainda tão afastado de nós como à primeira vista pode parecer.”

A grande viagem desta “Embarcação do Inferno”
“Embarcação do Inferno” estreou no Teatro Garcia de Resende, em Évora, em Outubro de 2016. É co-encenado pelos directores artísticos das duas companhias – António Augusto Barros e José Russo – e conta com um elenco misto: Ana Meira, Jorge Baião, José Russo, Rosário Gonzaga e Rui Nuno (Cendrev) e de Igor Lebreaud, Maria João Robalo e Miguel Magalhães (A Escola da Noite). A equipa inclui ainda Ana Rosa Assunção (figurinos e bonecos), João Mendes Ribeiro e Luisa Bebiano (cenografia), António Rebocho (iluminação) e Luís Pedro Madeira (música).
Desde a estreia, o espectáculo foi apresentado em 110 sessões, às quais assistiram mais de 10 mil espectadores, incluindo largas centenas de alunos e professores do ensino secundário. Para além das duas cidades das companhias – Évora e Coimbra –, o projecto passou já por outras nove localidades portuguesas, de oito distritos diferentes: Campo Benfeito (Viseu), Bragança, Aveiro, Viana do Castelo, Caldas da Rainha (Leiria), Barreiro (Setúbal), Figueira da Foz (Coimbra), Castelo Branco e Porto. Em várias destas cidades têm sido realizadas, a par dos espectáculos, oficinas para professores e as conferências “Gil Vicente no seu tempo e no nosso tempo”, num ciclo coordenado por José Augusto Cardoso Bernardes, professor e investigador na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e consultor científico do projecto.
Ao longo de 2018 e até Janeiro de 2020, o projecto continuará “na estrada” e regressará anualmente ao Teatro Garcia de Resende e ao Teatro da Cerca de São Bernardo, em Évora e em Coimbra, onde Cendrev e A Escola da Noite, respectivamente, são companhias residentes.

TEATRO
“Embarcação do Inferno”, de Gil Vicente
co-produção A Escola da Noite / Cendrev

co-produção A Escola da Noite / Centro Dramático de Évora
encenação António Augusto Barros e José Russo interpretação Ana Meira, Igor Lebreaud, Jorge Baião, José Russo, Maria João Robalo, Miguel Magalhães, Rosário Gonzaga, Rui Nuno cenografia João Mendes Ribeiro e Luisa Bebiano figurinos e bonecos Ana Rosa Assunção música Luís Pedro Madeira iluminação António Rebocho
consultadoria científica José Augusto Cardoso Bernardes
M/12 > 60′

LEIRIA, TEATRO JOSÉ LÚCIO DA SILVA
26 de Janeiro de 2018
sexta-feira, 21h30
sessões para o público escolar:
25 de Janeiro de 2018
quinta-feira, 10h30 e 14h30

informações e reservas:
244 834 117 / marketing@teatrojlsilva.pt

Sábados para a Infância no TCSB: 2018 começa com músicas do Mundo para toda a família

Terça-feira, Janeiro 2nd, 2018

Catarina Moura e Luís Pedro Madeira – o “Taleguinho” – apresentam no próximo Sábado, 6 de Janeiro, o espectáculo “O Mundo ao Colo” no Teatro da Cerca de São Bernardo. O concerto inclui músicas tradicionais de vários pontos do globo e destina-se a bebés e crianças até aos 5 anos e respectivos acompanhantes. Até ao final da semana, estão também abertas as inscrições para a primeira sessão do ano do Clube de Leitura Teatral, que acontecerá a 9 de Janeiro e será dirigida pelo dramaturgo Abel Neves.

"O Mundo ao Colo", pelo Taleguinho

“O Mundo ao Colo”, pelo Taleguinho

“O Mundo ao Colo” é a terceira criação do Taleguinho, projecto musical para a infância da cantora Catarina Moura e do compositor e multi-instrumentista Luís Pedro Madeira. Depois de “Costurar cantigas e histórias” (histórias e músicas tradicionais do cancioneiro galaico-português) e de “Ficar a ver estrelas” (canções de Natal e Janeiras), o Taleguinho propõe aqui uma verdadeira “volta ao mundo” das canções de embalar, com passagens por Brasil, Canadá, Colômbia, Índia, Itália, Japão, Mali, Timor-Leste, Venezuela e, claro, Portugal.
O espectáculo foi concebido e preparado no Teatro da Cerca de São Bernardo em 2016. Estreou nesse mesmo ano no Festival Músicas do Mundo de Sines e regressa agora aos Sábados para a Infância no TCSB, onde já foi apresentado por seis vezes nos dois últimos anos, sempre com assinalável sucesso. Dada a reduzida lotação do espectáculo (apenas 60 lugares) e a procura que já se regista, A Escola da Noite aconselha vivamente a reserva antecipada de lugares, pelos contactos habituais do Teatro: 239 718 238 / 966 302 488 / geral@aescoladanoite.pt.

O Taleguinho
Definindo-se como “um projeto de intervenção cultural para o público infantil”, o Taleguinho assume como objetivo “estimular através do canto, das histórias, das lengalengas e trava-línguas a aquisição e o desenvolvimento de competências cognitivas, sociais, afectivas e criativas junto das crianças”.
O nome Taleguinho foi escolhido “por associação ao talego, designação dada no Alentejo aos sacos feitos das sobras de tecidos, com o propósito de levar a comida para o trabalho no campo ou de guardar os cereais e as leguminosas secas, e que passavam de mãe para filha”. A escolha do nome – dizem Catarina Moura e Luís Pedro Madeira – “vem do facto de ser um objecto pessoal: também nós pretendemos passar, através das canções e das histórias, uma memória cultural sonora que foi dos nossos avós, como se de um legado físico ou de um objecto herdado se tratasse”. Em “O Mundo ao colo”, o Taleguinho alarga o universo do seu reportório, originalmente centrado no cancioneiro galaico-português, e visita outras paragens e sonoridades, dos quatro cantos do mundo.

Abel Neves

Abel Neves

CLUBE DE LEITURA TEATRAL
Noutra das áreas da programação que desenvolve no Teatro da Cerca de São Bernardo, A Escola da Noite prepara já a próxima sessão do Clube de Leitura Teatral, que terá lugar a 9 de Janeiro, pelas 18h30. A iniciativa, co-organizada com o Teatro Académico de Gil Vicente e aberta a qualquer pessoa, acontece mensalmente e visa contribuir para a divulgação, o conhecimento e a promoção da dramaturgia. É coordenada por Ricardo Correia (TAGV) e António Augusto Barros (A Escola da Noite) e ocorre alternadamente entre os dois espaços, sempre com participação e entrada gratuitas. Desde Outubro de 2017, está a decorrer um ciclo dedicado a dramaturgas/os portuguesas/es contemporâneas/os, que são convidadas/os a seleccionar algumas das suas obras e a dirigir as respectivas sessões. Depois de Carlos J. Pessoa, Patrícia Portela e Jacinto Lucas Pires, é agora a vez de Abel Neves, autor várias vezes representado pel’A Escola da Noite. O dramaturgo escolheu fragmentos de quatro peças já publicadas – “Além as estrelas são a nossa casa”, “Olhando o céu estou em todos os séculos”, “Clube dos Pessimistas” e “Terra” – e ainda de duas peças inéditas: “Solitário” e “Flor e Cinza”. As sessões preparatórias da leitura decorrerão no dia 8 de Janeiro, segunda-feira (18h30 – 21h30) e no próprio dia 9 de Janeiro, entre as 15h00 e as 18h00. Tanto a participação como leitor/a como a “mera” assistência à leitura são gratuitas. No primeiro caso, a organização agradece apenas, por razões logísticas, que as/os interessadas/os efectuem a inscrição prévia, através do endereço de e-mail clube.leitura.teatral@gmail.com.

Coimbra, Teatro da Cerca de São Bernardo
Programação de 1 a 9 de Janeiro de 2018

MÚSICA
O Mundo ao Colo
Taleguinho
6 de Janeiro de 2018
sábado, 11h00
bebés e crianças até aos 5 anos > 40′
Preços: adulto + criança: 8 Euros / bilhete individual: 5 Euros

LEITURA
Peças de Abel Neves (fragmentos)
texto e direcção de Abel Neves
Clube de Leitura Teatral – Coimbra
9 de Janeiro de 2018
Terça-feira, 18h30
TCSB > 90′
entrada gratuita
org. TAGV / A Escola da Noite

informações e reservas:
239 718 238 / 966 302 488 / geral@aescoladanoite.pt