ESTREIA: “Santíssima Apunhalada” em horário alternativo

A Escola da Noite estreia esta terça-feira, 22 de Maio, no Teatro da Cerca de São Bernardo, o espectáculo “Santíssima Apunhalada”. Apresentado num horário pouco convencional, ao final da tarde, a peça curta de Antonio Onetti oferece um retrato amargo da marginalidade nas sociedades contemporâneas.

Tomando como contexto a Sevilha dos nossos dias (cidade onde nasceu e vive o autor), a história de “Santíssima Apunhalada” desenvolve-se a partir do roubo das jóias de uma virgem de muita devoção na Andaluzia – “La Puñalá” –, em plena Semana Santa. O Caramá, “ladrão mal encarado”, e a Winston, travesti que vende bugigangas com um carrinho ambulante, são as duas personagens desta tragicomédia escrita num “realismo sujo”, como o próprio Onetti a define.

“Santíssima Apunhalada pertence a um ciclo de obras que escrevi nos anos 80 e 90 [em que] eu tentava mostrar o mundo andaluz”, explicou o autor em Coimbra, no passado mês de Setembro, quando participou nas Jornadas de Dramaturgia Espanhola Contemporânea organizadas pel’A Escola da Noite. “São obras que mostram um pouco um mundo marginal, que tem a ver com um realismo sujo que se estava a fazer em muitos lados e que tentava levar ao palco personagens que normalmente não tinham espaço no teatro, pelo menos no teatro realista, que tratava sempre do doméstico, do normal, de personagens burguesas”. A Onetti, então com vinte e poucos anos,  interessava-lhe essa nova escrita: “achava que o teatro tinha de apresentar essa parte da sociedade que, pela sua marginalidade, provoca matéria dramática interessantíssima, porque as pessoas que vivem na marginalidade vivem sempre no limite e com extrema violência. Isso faltava-me, eu queria olhar essa parte da sociedade, parecia-me que gerava muitíssimas metáforas, que servia para toda a sociedade”.

uma obra ecléctica

Antonio Onetti (Sevilha, 1962) é o mais conhecido dramaturgo andaluz contemporâneo. Estudou na Escola Superior de Arte Dramática de Madrid e no Centro Nacional de Novas Tendências Cénicas e iniciou a sua carreira teatral pela interpretação, numa companhia de Sevilha. Também professor, António Onetti leccionou Literatura Dramática e Dramaturgia na Escola Superior de Arte Dramática de Sevilha e orienta regularmente oficinas e seminários de escrita teatral e de guiões para televisão e cinema.

Tem mais de 20 peças publicadas, numa obra ecléctica, que abarca diversas categorias de literatura dramática. Entre eles incluem-se, por exemplo, as adaptações de “Mãe Coragem”, de Brecht (1997) e do clássico de Shakespeare “Romeu e Julieta” (2003). Para além de Brecht, que assume como mestre – “aprendes muito lendo as suas obras, se souberes lê-las”, escreveu em 1999 –, têm sido igualmente identificadas como referências para o seu trabalho autores como Federico García Lorca, Cervantes, Ramón del Valle-Inclán ou Pirandello.

Pertencendo à primeira geração de escritores que “começou a trabalhar na democracia”, Antonio Onetti inclui-se entre os que têm procurado “um novo realismo”, tentando recuperar uma tradição “que se tinha quebrado em Espanha”. Um teatro ao mesmo tempo realista e “comprometido”, na linha do que, por exemplo, John Arden e Osborne tinham feito em Inglaterra. Partindo do facto de “já não estarmos no naturalismo”, Onetti afima acreditar na “dramaturgia do espectáculo e do texto”. Nesse sentido, prefere um “teatro dramático” a um “teatro literário” e procura desenvolver linguagens – “linguagens diferentes para histórias diferentes” -, mais do que “um estilo pétreo” que pudesse caracterizar a sua obra.

“La Puñalá” foi escrita em 1991 e estreou em Sevilha, na Sala Imperdible. Foi entretanto traduzida e apresentada em diversos países, como França, Colômbia, Roménia e Inglaterra. Em Portugal, está publicada na colecção “Livrinhos de Teatro” (Cotovia/Artistas Unidos).

horário alternativo e um programa completo

O espectáculo d’A Escola da Noite, com direcção e interpretação dos actores Igor Lebreaud e Miguel Magalhães estreia a 22 de Maio e mantém-se em cena até dia 27, sempre às 19h00, com o preço único de 5 Euros.

Os espectadores que quiserem assistir no mesmo dia a “Santíssima Apunhalada” e a “O Abajur Lilás” (que estreou em Coimbra na passada semana) podem comprar um bilhete para os dois espectáculos por apenas 12 Euros ou ainda beneficiar da campanha “Jantar + Teatro”, que A Escola da Noite retoma esta semana, em colaboração com o Restaurante O Pátio.

 

Santíssima Apunhalada

de Antonio Onetti

tradução Clara Riso direcção / interpretação Igor Lebreaud e Miguel Magalhães elementos cénicos / figurinos / grafismo Ana Rosa Assunção luz Danilo Pinto som Eduardo Gama

Teatro da Cerca de São Bernardo

22 a 27 de Maio de 2012

terça a domingo, 19h00

preço único: 5 Euros

Santíssima Apunhalada + O Abajur Lilás: 12 Euros

Jantar + Teatro (1 espectáculo): 13 Euros

Jantar + Teatro (2 espectáculos): 18 Euros

informações e reservas: 239 718 238 / 966 302 488 / geral@aescoladanoite.pt

Tags: , , , ,

10 Responses to “ESTREIA: “Santíssima Apunhalada” em horário alternativo”

  1. […] “Santíssima Apunhalada”, de Antonio Onetti, estreia esta terça-feira ao final da tarde no Teatro da Cerca de São Bernardo. […]

  2. […] “Santíssima Apunhalada”, de Antonio […]

  3. […] vai no bom caminho, com dois espectáculos por dia: “Santíssima Apunhalada” às 19h00 e “O Abajur Lilás” às […]

  4. […] a ler AQUI o texto da Via Latina sobre “Santíssima Apunhalada”, de Antonio […]

  5. […] e venha assistir aos nossos espectáculos: Santíssima Apunhalada (19h00) e O Abajur Lilás […]

  6. […] Abajur Lilás (16h00) e Santíssima Apunhalada (19h00) despedem-se hoje de […]

  7. […] ver a  Santíssima Apunhalada, pergunta a vereadora da […]