Paula

No cimo do monte, no meio do que muitos chamam nada, há um cruzamento à esquerda e uma placa que indica TEATRO. O caminho leva-nos a Campo Benfeito e à casa que o Teatro do Montemuro ali fez nascer.
Trabalhamos com eles há quase 30 anos, tantos quantos levamos de percurso. O Teatro fez-nos amigos, graças à qualidade e à singularidade do trabalho desta companhia, graças à alegria, à generosidade, à camaradagem das pessoas que a fazem. A dada altura, a Paula Teixeira juntou-se ao grupo, para nunca mais o largar. Tornou-se uma deles, tornou-se uma de nós – uma amiga, uma colega, uma companheira. A sua dedicação, a sua competência, o seu profissionalismo, o seu compromisso com a criação teatral, com o serviço público e com a descentralização cultural tornaram possível a concretização de muitíssimos projectos, em alguns dos quais temos tido o privilégio de ser parceiros.
A Paula morreu hoje e nós sentimos já a sua falta.
À família – de sangue e de arte – enviamos um abraço maior que a Serra, maior que o céu que se alcança do tal cruzamento, onde a placa continuará a indicar o caminho para a obra que a Paula tão bem ajudou a construir.
Seguimos juntos, Abel, Carlos, Eduardo, Paulo, São.
Seguimos juntos, Teatro do Montemuro.

A Escola da Noite
16 de Novembro de 2021

Leave a Reply

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.