Oficina de trava-línguas e lengalengas | CATARINA MOURA

Catarina Moura, voz do Taleguinho, da Brigada Victor Jara e das Segue-me à Capela, cúmplice dos Sábados para a Infância desde a primeira hora, traz desta vez, “a solo”, a Oficina de Trava-Línguas e Lengalengas. A diversão está garantida! Mas não só:

Provenientes da tradição oral popular, os trava-línguas podem aparecer como versos, frases ou prosa, o desafio é dizer as palavras de forma rápida ou várias vezes repetidas sem errar… sem travar a língua!
A importância dos trava-línguas não se resume apenas ao seu papel lúdico, desempenham também um papel primordial ao nível psico-linguístico, devido à sua estrutura por textos curtos, com cerca de cinco ou seis versos, em métrica de quatro a seis sílabas. A sua forma de jogo verbal-gestual, dizer com rapidez e clareza sílabas muitas vezes difíceis de pronunciar, gera na criança prazer (físico e psíquico) e permite resolver ou mitigar uma necessidade. Com a aquisição da leitura e da escrita esta torna-se uma ferramenta pedagógica essencial para a consolidação do português nas crianças.

OFICINA
Oficina de trava-línguas e lengalengas
Catarina Moura
4 de Maio de 2019
Sábado, 11h00
5 aos 10 anos > 90′ > 6 €

informações e reservas:
239 718 238 / 966 302 488 / geral@aescoladanoite.pt

CATARINA MOURA

Catarina Moura

Ana Catarina Ribeiro de Moura nasceu no Entroncamento, a 25 de Dezembro de 1975. Licenciada em Ciências da Educação pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra. Trabalhou durante 13 anos na área de Educação de Adultos. Em 2014 cria com Luis Pedro Madeira o projecto Taleguinho, projecto de intervenção cultural para público infantil onde é também intérprete. É convidada em 2013 pela companhia ACCCA da coreógrafa Clara Andermatt para participar como intérprete e criadora no espectáculo “Fica no Singelo”, com direcção artista e coreográfica de Clara Andermatt, presentemente em cena. Integra desde 1999 a Brigada Victor Jara, o grupo Segue-me à Capela, e o Realejo com onde permaneceu até 2013. Em 2010 grava com o grupo Galego Ardentia o CD “Ardentia Vintage” (2012). Enquanto intérprete participa no filme “Fados” do realizador Carlos Saura. Com a Produtora Persona Non Grata grava em 2007 e 2011 um tema da banda sonora da curta-metragem “Deus não quis”, do realizador António Ferreira, e um tema da curta-metragem “O vôo da papoila” realizada por Nuno Portugal. Durante a sua vida académica integrou os seguintes grupos: Grupo de Música Popular Contos Velhos Rumos Novos da Tuna Académica da Universidade de Coimbra; Grupo Etnográfico e Folclórico da Academia de Coimbra (GEFAC) e Orquestra Típica e Rancho da Secção de Fado da Associação Académica de Coimbra.

Comments are closed.