Um, Dois, Três… Papelinho Japonês! | VÂNIA COUTO

Catrapum Book 2017 (1)

Vânia Couto e a Catrapum Catrapeia! estreiam o seu novo espectáculo no TCSB, no âmbito dos Sábados para a Infância. Desta vez, vamos até ao Oriente!

Uma visita ao mundo imaginário de papel dobrado, entre a música e a cultura do Oriente. No palco, a arte do Origami, em tamanho gigante com as “formas mágicas” que o papel pode tomar, saindo de uma folha no chão para um Tsuru no ar. Duas personagens encontram-se no Japão, numa espaço perdido entre papéis que ninguém consegue representar. Brincam, dançam, exploram, tocam e mudam de papel, que se transforma em barcos, dragões, caixas, cores, pássaros gigantes e muitas outras coisas! O público estica-se e dobra-se participando activamente no espectáculo. Os Origamis levam músicas, danças tradicionais japonesas e as histórias que as personagens vão contar.
Arigato!

MÚSICA
Um, Dois, Três… Papelinho Japonês! [ESTREIA]
Vânia Couto e Sandra Henriques
13 de Maio de 2017
Sábado, 11h00
M/3 > 50′
Preços: 8 € (adulto+criança); 5 € (individual)
Sessões para creches e jardins de infância: 16 e 17 de Maio, terça e quarta-feira, 10h30

informações e reservas:
239 718 238 / 966 302 488 / geral@aescoladanoite.pt

VÂNIA COUTO
Desde muito jovem participou em associações de música e de teatro amador. Mais tarde, em Coimbra (onde estudou Psicologia), a paixão cresceu através do contacto com diversos organismos culturais. Entrou para o GEFAC (Grupo de Etnografia e Folclore da Academia de Coimbra) em 2006, onde descobriu as raízes da música portuguesa, foi uma das fundadoras da Tuna da FPCEUC e participou ainda em diferentes eventos culturais académicos. Em espaços míticos da cidade, como a Casa de Fados Diligência, deixou-se também embalar por intermináveis noites de Fado Vadio. Foi um tempo de aventuras que acabaram por desaguar em projetos mais sérios. Explorou novos caminhos que a levaram ao curso de Jazz da escola Sítio de Sons, onde fez formação em guitarra e voz. Em 2010 realizou o Curso de Animadores Musicais da Casa da Música do Porto, no âmbito do projeto Sonópolis, vocacionado para o trabalho com comunidades. Em 2011, na empresa Tempos Brilhantes, fundou e desenvolveu projetos educativos ligados à música e ao teatro, leccionando, actualmente, expressão musical e dramática a alunos do ensino básico, pré-escolar e creche. Neste momento está a fazer o Curso de Pedagogia Musical de Jos Wuytack, uma metodologia educativa prestigiada para crianças dos 6 aos 10 anos.

Faz parte do projeto Macadame (música tradicional portuguesa com interpretações contemporâneas) e tem um projecto a solo. Em 2012 foi convidada para dar voz ao projeto Pensão Flor, cujo primeiro disco foi considerado um dos melhores álbuns de 2013 e que tem vindo progressivamente a ser reconhecido pelo público nacional e internacional.

Com o projecto Catrapum Catrapeia, dinamiza oficinas e espectáculos de expressão musical e dramática, para pequenos e graúdos, numa participação activa e didáctica.

Comments are closed.